Por que o debate econômico é tão importante?

Entenda como a situação econômica atual do país afeta ou afetará justamente a população menos favoricida do país.
Blog por Livia Mansur  

Sei que o foco da coluna é falar sobre alternativas de investimentos. O problema é que, primeiramente, com a indefinição eleitoral, fica muito difícil sugerir qualquer coisa. Já que as duas alternativas apresentam cenários praticamente opostos para o mundo dos investimentos. Segundo, tenho visto muitas críticas direcionadas aos profissionais do mercado financeiro alegando que os mesmos só “olham seu próprio umbigo” na hora de votar. Muitos alegam que a preferencia declarada dos participantes do mercado financeiro pelo candidato Aécio Neves se trata de uma falta de solidariedade com os mais pobres que foram favorecidos pelos programas sociais dos últimos anos. Sendo assim, me sinto na responsabilidade de esclarecer alguns pontos:

1-      É possível ganhar dinheiro no mercado financeiro independente do cenário

No mundo dos investimentos é possível ganhar dinheiro com qualquer cenário. Seria leviano afirmar que os agentes do mercado que votam em Aécio o fazem simplesmente pra ver seu investido dinheiro crescer. É possível ganhar dinheiro com o cenário “Dilma ganha” também. É só comprar dólar e vender bolsa e torcer pra presidente ser reeleita.

2-      Continuidade dos programas sociais ameaçada

Como será possível continuar os programas sociais com o retrocesso econômico dos últimos anos? Segundo a economista Zeina Latif, temas como inflação, desequilíbrio fiscal e baixo crescimento, agravam as restrições orçamentárias para a política pública nos próximos anos e comprometem a evolução da distribuição de renda.

3-      Baixa taxa de desemprego ameaçada

Tenho ouvido constantemente: “a taxa de desemprego atual é a mais baixa da história do Brasil”. Mas, segundo as sondagens do IBRE da FGV, os índices de confiança de serviços, da indústria e do consumidor também se encontram nas mínimas históricas. O como vocês acham que o empresário brasileiro reage isso? Contrata mais gente? Acho que não, é muito mais pelo caminho contrário.

4-      Por que o debate econômico importa justamente para os “não ricos”?

Segundo meu amigo e economista Albert Saadia, a classe mais pobre da população é a que mais sofre com a alta da inflação, porque incide ela sobre o consumo, pra onde vai 100% ou mais da sua renda. As classes mais altas são mais “bancarizadas”, logo, menos afetadas. A inflação já foi chamada por economistas como o imposto dos pobres. Com a economia aquecida, é de esperar que a renda dos menos favorecidos seja ajustada de acordo com o nível de preços mas o mesmo não acontece com baixo crescimento. Esse baixo crescimento afeta diretamente o mercado de trabalho, que por sua vez impacta mais a classe média. Essa não é favorecida por programas sociais e depende do emprego pra manter sua família.

Tentei ser breve e objetiva. Se alguém tiver qualquer dúvida específica, meu e-mail está à disposição!

Pense bem, e vote bem!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É especialista em alocação de recursos de clientes de alta renda e tem 10 anos de experiência no mercado financeiro. blogliviamansur@gmail.com