O investidor "Esquilo Scrat"

Quem não lembra do divertidíssimo Esquilo do filme "A Era do Gelo" e sua saga em busca da sua noz? Saibam quais são as características de um investidor desse estilo, e como contorná-las.
Blog por Livia Mansur  

No post “Como investidores deixam bilhões na mesa” explicamos porque um investidor que troca muito de fundo pode prejudicar bastante a performance da sua carteira. Alguns me questionaram sobre o outro extremo: ficar preso à uma posição por muito tempo e ignorar novas informações. Isso também não é nada bom.

Esse é um tema muito importante e não diz respeito somente a fundos, mas a ativos de investimentos em geral. Por isso, gostaria de falar sobre um tipo de investidor que apelidei de carinhosamente “Esquilo Scrat”, do filme “A Era do Gelo”.

Para muitos investidores, nada é mais forte que a teimosia que emerge quando tomar uma nova decisão significa admitir que a anterior foi um erro. Tal admissão custa caro na auto-imagem e mais ainda no bolso. Involuntariamente esse investidor tem maior medo de admitir para si mesmo e talvez para outros, que ele cometeu um erro, do que as consequências de manter um mau investimento.

Quando alguma nova informação, argumento ou evidência vai de encontro com a crença de alguma pessoa, cria-se uma dissonância cognitiva. E quanto mais tempo a pessoa tiver acreditado, e quanto mais enraizado e importante aquela crença, a dissonância poderá leva-la simplesmente a ignorar essa nova informação dada.

Dessa forma, muito investidores se agarram aos seus ativos como o esquilo à noz. Não há nenhuma notícia, nenhum acontecimento, nenhuma informação, absolutamente nada, que o faça largar a noz. Ele é capaz ignora tudo a sua volta e guardar na memória apenas os raros momentos felizes com sua noz, mesmo que esteja à beira de um despenhadeiro.

E não achem que isso é um comportamento exclusivo de investidores mais “leigos”. Isso é muito mais comum do que se imagina entre gestores renomados e extremamente capacitados. Esse ano foi um exemplo claro disso. Muito gestores apegados à sua noz não foram capazes de alterar estratégias, e acabaram amargando muitos resgates devido à performance aquém do esperado.

Como prevenir então que isso aconteça?

Procure diversificar sua carteira, pra não depender apenas de uma noz, tenha certeza que você está fazendo e o porquê. Não ignore novas e valiosas informações. Mas a dica mais valiosa é: estabeleça os limites de perdas antes mesmo de comprar sua noz. Essa é uma técnica muito comum entre gestores profissionais. Afinal, como diria o famoso provérbio alemão, “Se você quiser ser forte, conheça suas fraquezas!”.

Conheça suas fraquezas, e bons investimentos!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É especialista em alocação de recursos de clientes de alta renda e tem 10 anos de experiência no mercado financeiro. blogliviamansur@gmail.com