Regra dos 50-15-35 vale para quem quer poupar sem deixar de curtir a vida

É possível conciliar os prazeres de hoje com a segurança de amanhã. Descubra como.
Blog por Thiago Alvarez  

O grande dilema de muitas pessoas que não conseguem controlar suas finanças é: para guardar dinheiro para o futuro é preciso abrir mão de aproveitar a vida no presente. A boa notícia é que a regra dos 50-15-35 mostra que esse pensamento é um mito. Quer ver?

Essa regra é baseada na divisão da sua renda em três grandes categorias de despesas: 50% para gastos essenciais, 15% para prioridades financeiras e 35% para estilo de vida. Isso dá certo porque ao definir quanto vamos gastar em cada uma dessas caixinhas, conseguimos criar metas para as despesas do dia-a-dia que estão dentro de cada uma delas:

Gastos essenciais (50% da renda):
Todas as despesas necessárias para se manter no dia-a-dia: moradia, transporte, alimentação, saúde e educação são exemplos.

Prioridades financeiras (15% da renda):
Essa é a parte da sua renda que será reservada para planejar o seu futuro. Se você está endividado, sua prioridade financeira deve ser quitar as dívidas. Se não, deve começar a guardar esse valor na poupança todos os meses para formar uma reserva de emergência de três a seis salários.

Formada a reserva (se você começar agora, daqui a 1 ano e 8 meses já terá guardado três salários), é hora de diversificar e começar a investir em outros produtos financeiros, como previdência, renda fixa e fundos de investimento. Pronto! Você está planejando seu futuro.

Estilo de vida (35% da renda):
Eu não disse que o fundamento da regra dos 50-15-35 é poupar sem deixar de aproveitar a vida? Conforme prometido, esta é a parte da sua renda destinada para lazer, hobbies e diversão. Despesas com bares e restaurantes, baladas, academia, presentes, salão de beleza, compras e viagens entram aqui. Respeitando o limite de 35% da renda, gaste sem culpa!

Como colocar a regra dos 50-15-35 em prática?
Apesar de parecer, alcançar o objetivo de planejar o futuro sem precisar abrir mão do presente não é difícil. Para chegar lá, você só precisa de um pouco de disciplina e planejamento:

1.       Mapeie seus gastos:
Esse passo é fundamental para descobrir como está sua situação financeira hoje. Se você não costuma (ou não tem tempo e paciência para) guardar os recibos do cartão de crédito, uma boa opção é usar o GuiaBolso.com (conheça aqui). Basta inserir seus dados do internet banking e, em menos de dois minutos, todas as suas despesas aparecerão categorizadas automaticamente na sua tela. 

2.       Avalie quanto falta para chegar lá:
Você está perto ou longe de conseguir adequar sua renda à regra dos 50-15-35? Se suas despesas não estiverem respeitando essa divisão, você precisará criar metas de gastos e rever seu estilo de vida. Para isso, você tem duas opões: cortar alguns gastos (confira aqui algumas dicas) para adequar seu padrão financeiro à sua realidade ou buscar fontes de renda alternativa (veja aqui algumas ideias). 

3.       Acompanhe seu desempenho:
Depois de rever suas finanças, é fundamental acompanhar seu desempenho ao longo dos meses para saber se você está conseguindo seguir suas metas de gastos. Além disso, monitorar sua evolução dá forças para manter a disciplina financeira no dia-a-dia. Tenho certeza de que você consegue!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário