Como desenvolver sua ideia de negócio sem gastar muito

Uma nova abordagem (e mais barata) para a validação de ideias de negócio.
Blog por Thiago Alvarez  

Desde que fundei o GuiaBolso.com recebo muitas pessoas querendo me mostrar ideias de negócio, seja para investir, apresentar investidores ou simplesmente ajudar a avaliá-las.

A crença normal é que uma vez encontrada a ideia, o passo seguinte é desenvolver o produto e começar a vendê-lo no mercado. Mas existe um problema fundamental com essa abordagem: ela parte do pressuposto que a ideia é realmente boa, porém, só saberemos se a ideia é realmente boa depois de investir muito dinheiro desenvolvendo o produto.

Há alguns anos atrás surgiu no Vale do Silício um novo conceito que tem ajudado muitas pessoas a resolverem essa questão de outra forma, chama-se lean startup. A premissa básica desse novo conceito de desenvolvimento de produto, é que nunca sabemos se uma ideia é boa ou não até que o mercado a valide. E não é necessário desenvolver um produto completo para testá-lo no mercado. Na verdade, deve-se criar apenas o mínimo necessário para ter certeza que vale a pena perseguir essa ideia.

Um caso famoso é o do Dropbox, que criou um simples vídeo de como o produto deles funcionaria. As pessoas gostaram tanto do vídeo que já queriam assinar ali mesmo para ter acesso ao serviço. 

De forma bem simples, você deve seguir 4 passos para validar sua ideia:

1. Identificar as hipóteses que farão com que a ideia dê certo

O que precisa acontecer para seu produto funcionar no mercado? Você está resolvendo um problema real para seus clientes? Oferece algo melhor do que já está disponível hoje? Seus clientes são facilmente encontrados?

2. Validar essas hipóteses da forma mais barata possível

Se estou desenvolvendo um bem de consumo, posso fazer apenas a embalagem e testar a receptividade com consumidores na gôndola? Se estou desenvolvendo um software, posso simulá-lo usando planilhas ou folhas de papel?

Imagine a situação em que uma pessoa quer desenvolver um aplicativo para reduzir as filas nas baladas. Se ela chegar na fila com um panfleto falando sobre o aplicativo e ninguém quiser baixá-lo, para que serviu o desenvolvimento do app? Minha sugestão nesse exemplo, é desenvolver apenas o panfleto e ver a reação das pessoas e conversar com elas. Você terá ali um feedback muito valioso sobre como os potenciais usuários pensam na situação em que poderiam usar o seu produto.

3. Iterar a ideia com base nos resultados

Com o feedback recebido, existem três decisões possíveis: descartar, prosseguir ou reformular a ideia. Raramente vejo acontecer a segunda alternativa. Normalmente, a ideia precisa ser bastante reformulada ou descartada por completo.

4. Testar novamente

Feitos os ajustes, não sugiro iniciar o desenvolvimento logo de súbito. É importante ter certeza que aquilo que imaginou que as pessoas achariam melhor, está suficientemente bom.

Ao final desse processo, você terá a visão de uma ideia muito mais madura. Além disso, evitará desperdiçar recursos no desenvolvimento de algo que seus clientes não gostariam. 

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É fundador do GuiaBolso.com, um site de controle financeiro automático e gratuito. Foi consultor da McKinsey & Company. thiago@guiabolso.com.br