Start-ups surgem para trazer maior eficiência ao mercado financeiro

Como novas empresas estão inovando no mercado financeiro.
Blog por Thiago Alvarez  

Ao trabalhar com grandes instituições financeiras, pude vivenciar por dentro o ambiente bancário brasileiro. Repleto de pessoas muito competentes e com recursos em abundância, os sete maiores bancos do Brasil dominam o mercado financeiro como em poucos lugares do mundo. Com margens financeiras ainda significativas, é difícil imaginar um cenário em que esses bancos não continuem a prevalecer pelos próximos 10 anos.

Mas mesmo com muito dinheiro disponível, não vejo essas instituições inovando. Isso ocorre porque suas estruturas já tornaram-se muito lentas, as prioridades são outras, não querem tomar riscos, e principalmente porque não adotaram uma filosofia onde ideias florescem e são rapidamente testadas e implementadas.

A decisão de fundar o GuiaBolso.com é justamente uma tentativa de quebrar essa forma de trabalhar e criar uma nova filosofia de empresa de serviços financeiros. Adotamos uma metodologia de trabalho ágil e não temos medo de quebrar as coisas, desde que possamos rapidamente consertá-las. Algo muito parecido com a filosofia de trabalho adotada no Vale do Silício por empresas como Facebook e Google. E inovação é assim: para cada uma ideia que dá certo, você testou pelo menos nove que não foram a lugar algum. A melhor forma de inovar é botando à prova cada uma dessas ideias o mais rápido possível sem que estejam 100% prontas e perfeitas.

GuiaBolso.com não está sozinho nessa empreitada de tentar mudar como serviços financeiros são consumidos no Brasil. Uma série de empresas está surgindo nesse espaço e com propostas diferentes. Existem sites de comparação de produtos (ex: BankFácil, Compara Online), shoppings de crédito (ex: Canal do Crédito, Corta Contas, Avante), corretoras de seguro (Bidu, Escolher Seguro, Tá Claro, Minuto).

Vejo quatro fatores cruciais para o surgimento dessas novas empresas:

O comportamento do consumidor está mudando

Depois de um boom econômico em que mais de 50 milhões de brasileiros ascenderam de classe social, vimos a sua voracidade por consumo e crédito, ainda que a taxas de juros alarmantes. Ainda pouco acostumados a tomar crédito, uma parcela significativa desses consumidores se endividou mais do que podia e teve dificuldades de pagar suas contas. Essa “ressaca” de crédito tem um efeito positivo de educação financeira. Muitos consumidores aprenderam da pior forma, mas aprenderam. Isso tem resultado num aumento de demanda pela educação financeira e busca de ferramentas que permitam maior entendimento de produtos antes de tomarem sua decisão de crédito ou investimento.

Novos canais reduzem a necessidade de escala

Com a ampliação do acesso à Internet, esse canal se tornou muito atraente para empresas novatas que enxergam nele uma possibilidade de aquisição de clientes a um custo reduzido. A expansão da base de smatphones ampliará ainda mais esses efeitos. Outras empresas também adotaram canais baseados em vendas diretas, que são capazes de suprir a falta de agências bancárias ou lojas.

Novas tecnologias permitem melhor relacionamento com consumidor

No GuiaBolso.com, temos desenvolvido tecnologias proprietárias ancoradas no conceito de BigData e Inteligência Artificial, que serão capazes de mudar completamente a forma com a qual o consumidor se relaciona com seu dinheiro. Essas tecnologias permitem gerar recomendações personalizadas que melhoram a vida financeira dos usuários. Assim tratamos assertivamente cada consumidor e a um custo muito mais baixo do que com atendentes ou gerentes de bancos.

Baixa eficiência bancária

Os custos administrativos das instituições financeiras são muito altos quando comparados a outros países. Com a redução do spread bancário, a única forma de manter a rentabilidade dos bancos é reduzindo custos. Várias empresas novatas estão explorando isso de tal forma que possam servir como canais mais baratos para distribuir produtos financeiros desses bancos.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É fundador do GuiaBolso.com, um site de controle financeiro automático e gratuito. Foi consultor da McKinsey & Company. thiago@guiabolso.com.br