5 coisas para fazer com seu dinheiro antes dos 30

Como fugir do padrão e construir um futuro financeiro equilibrado.
Blog por Thiago Alvarez  

Recentemente perguntei a um grupo de amigos bem sucedidos já em seus 30/40 anos o que mais se orgulhavam ou se arrependiam de terem feito com seu dinheiro quando tinham menos de 30 anos. Foi incrível como todos mencionavam as mesmas coisas.

Para esse artigo também analisei como é o padrão das finanças pessoais dos brasileiros para diferentes faixas etárias. Usei os microdados da Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE e segmentei para apenas pessoas com renda familiar maior que R$3 mil.

No gráfico acima três padrões me chamaram a atenção. 1) A renda cresce constantemente até os 50 anos de idade. 2) As despesas ficam estáveis a partir dos 30 anos. 3) Até os 40 anos, não conseguem economizar dinheiro.

A coincidência é que boa parte das dicas que me falaram tenta justamente quebrar esses três padrões. 

1. Invista em você

O investimento mais rentável e seguro entre os 20 e 30 anos é você mesmo. Investindo em você, é possível acelerar rapidamente o seu rendimento e também “jogar” a curva de renda toda para cima.

Para isso é importante garantir uma boa educação, identificar áreas de interesse, exercitar bastante as habilidades necessárias para sua especialidade e ser fluente em outras línguas.

2. Invista para o longo prazo

Quanto antes começar a investir seu dinheiro no mercado financeiro mais tempo terá para acumular juros. Fiz uma simulação com a média da Pesquisa de Orçamentos Familiares e se essas pessoas tivessem economizado 15% de sua renda quando tinham menos que 30 anos e aplicado em um investimento com retorno real anual de 2%, elas teriam R$1 milhão de reais a mais aos 60 anos.

3. Gaste em experiências e menos em bens

Lembro muito de minha mãe me contar sobre suas viagens pela Europa quando ela fazia Doutorado em Paris. Ela havia ganhado uma bolsa de ajuda de custo para estudar fora e praticamente não tinha dinheiro para nada, então organizava grandes grupos de estudantes para viajarem juntos. Esse período era o que trazia melhores lembranças em sua vida.  Um celular ou um carro novo provavelmente te trará menos lembranças positivas em cinco anos que uma longa viagem de mochila pelo sudeste asiático.

Financiar uma casa muito jovem também foi um erro citado. Geralmente o imóvel é muito pequeno porque a sua renda ainda é baixa. O pagamento dessas prestações ocupa um espaço enorme em seu orçamento e não deixa gastar em experiências legais. Como você não consegue economizar, também acaba não tendo os benefícios do rendimento de juros quando ainda é novo. 

4. Crie uma reserva financeira para emergências

Você nunca sabe o dia de amanhã. Em post recente relatei a história da Fernanda, que teve sua vida varrida por uma crise financeira. Economize mais de 15% de sua renda até você ter 3 a 6 meses de salário guardados para emergência. O site GuiaBolso.com foi criado justamente para pessoas que querem controlar melhor suas finanças e pode ser uma mão na roda para você atingir suas metas financeiras.

5. No mínimo siga a regra dos 50-15-35

Essa regra consiste em alocar 50% de sua renda para gastos Essenciais e relativamente fixos (moradia, transporte, mercado, saúde e educação); 15% são alocados em Prioridades Financeiras (aposentadoria, investimentos); e os 35% restantes vão para despesas relacionadas a seu Estilo de Vida (lazer, restaurantes, viagens, etc). Para saber se segue essa regra ou quer acompanha-la diariamente, leia aqui o post que escrevi sobre isso.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

É fundador do GuiaBolso.com, um site de controle financeiro automático e gratuito. Foi consultor da McKinsey & Company. thiago@guiabolso.com.br