Negociar: palavra de ordem para realizar o sonho da casa própria

A importância de negociar para a compra da casa própria num momento de desaceleração da economia e restrição de crédito
Blog por Andressa Valli  

O momento poderia ser de euforia: os preços dos imóveis pararam de subir, mas em contrapartida, as taxas de juros aumentaram e o crédito ficou mais caro e restrito. A saída é negociar com bancos, incorporadoras e proprietários, além de tentar aumentar a entrada do financiamento.

Com o mercado morno e menos pessoas querendo comprar, quem tem uma boa poupança para dar de entrada também tem em mãos maior poder para negociar, pois significa menos riscos para o agente financeiro.

O que causou mais dificuldade para conseguir financiamento imobiliário foi a onda de saques na caderneta de poupança, uma das principais fontes de recursos do setor. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, derrubou o limite dos financiamentos e subiu a taxa de juros. O aumento dos juros também foi praticado pelo Banco do Brasil e outras instituições particulares.

Mas ter descontos ou  flexibilidade de pagamento não isentam o futuro proprietário de analisar com cuidado os riscos que envolvem um crédito de longo prazo. Essa é uma dívida de muitos anos e quanto maior for o financiamento, mais juros vai pagar esse consumidor. Às vezes considerar vender um automóvel ou um bem para aumentar o valor da entrada pode ser também um bom negócio.

Além de pensar muito bem sobre riscos e expectativas da compra de um imóvel, é muito importante ter um corretor que oriente o comprador na tomada de decisão e os valores que, conforme já falamos aqui, podem te surpreender.

 

 


Fonte: BlogDaLux.com.br

 

Link: http://bit.ly/1SgaR14

 


Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil da blogueira

É publicitária, pós-graduada em relações públicas e gerente comercial de uma das maiores imobiliárias do país. contato@blogdalux.com.br