Condomínio: entenda o que você paga

A taxa do condomínio é algo que pesa no orçamento mensal. Mas você compreende os custos cobrados pelo seu condomínio?
Blog por Andressa Valli  

condomínio

A taxa do condomínio é algo que pesa no seu orçamento mensal. Mas você compreende os custos cobrados pelo seu condomínio?

 Os valores pagos em condomínio são definidos de acordo com os mais diversos critérios, como a quantidade de moradores, reformas, melhorias, funcionários e os itens de lazer. Para entender quais são as despesas envolvidas, você deve avaliar todos os serviços oferecidos e não somente a suposição simplista de que a mensalidade é cara demais para um edifício que não tem academia ou piscina.

 A localização dos imóveis também pode influenciar o preço da sua taxa de condomínio, sobretudo pelo tipo de empreendimento e pelo custo de vida próprios de cada lugar. O valor do condomínio pode variar e muito. Há regiões com empreendimentos com poucos apartamentos e muitos serviços, o que demanda maior número de funcionários, mais gastos com manutenção e menos moradores para dividir essa conta.

 Mas, efetivamente, quais as despesas que definem os custos?

 

Despesas Fixas:

  • Quadro de funcionários: este custo ocupa em média de 55% a 64% dos gastos totais. Dentro do custo com pessoal, encargos como INSS, FGTS e benefícios, como alimentação e décimo terceiro, rescisões, etc. Há também encargos envolvidos em serviços prestados ao condomínio, como o ISS (Imposto sobre Serviço)

  • Contas de água e energia

  • Manutenção do prédio, que pode incluir custos mensais de conservação de elevadores, piscinas, revisão de antenas, pinturas e muitos outros

  • Gastos administrativos: custos bancários, o pagamento da administradora do condomínio e a isenção do síndico. 75% dos prédios isentam o síndico do pagamento do condomínio.

  • Custos eventuais e gerais. Os gerais seriam os valores despendidos com cartório, correio, materiais de limpeza, etc. E nos eventuais, entram gastos com imprevistos, como o conserto de um portão quebrado, ou uma reforma, que também envolve despesas com materiais de construção

 

Enfim, o fator determinante para o custo alto do condomínio é o número de moradores que dividem as despesas mensais. Quanto maior for a quantidade de condôminos, melhor, pois mais pessoas vão dividir os custos deixando o valor final mais barato.

 

Fonte: BlogDaLux.com.br

Link: http://bit.ly/1JDbu3E

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil da blogueira

É publicitária, pós-graduada em relações públicas e gerente comercial de uma das maiores imobiliárias do país. contato@blogdalux.com.br