Em vale

Lucro da Vale cai 98,3% no segundo trimestre e vai a R$ 60 milhões

O resultado foi impactado pela desvalorização do real e seu efeito sobre a dívida, informou a companhia

SÃO PAULO - A Vale (VALE3;VALE5) reportou seus números do segundo trimestre de 2017 na manhã desta quinta-feira (27), registrando uma queda de 98,3% no seu lucro, que passou de R$ 3,585 bilhões no segundo trimestre de 2017 para R$ 60 milhões no segundo trimestre deste ano. O resultado foi impactado pela desvalorização do real e seu efeito sobre a dívida, informou a companhia.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 8,834 bilhões, alta de 7,4% na comparação com os R$  8,228 bilhões registrados um ano antes, mas com baixa de 34,7% na comparação com os primeiros três meses deste ano, quando somou R$ 13,523 bilhões. 

A receita líquida no trimestre foi de R$ 23,363 bilhões, 8,3% acima dos R$ 21,576 bilhões na base de comparação anual, mas 12,6% se comparado ao primeiro trimestre de 2017, quando totalizou R$ 26,742 bilhões.

Já a dívida líquida teve queda de 2,87%, passando de US$ 22,777 bilhões no fechamento do primeiro trimestre para US$ 22,122 bilhões no fechamento de junho.

Os investimentos da Vale no segundo trimestre somaram US$ 894 milhões, o menor para um trimestre desde o terceiro trimestre de 2006 e uma queda de US$ 219 milhões frente ao trimestre anterior, quando investiu US$ 1,113 bilhão. O segmento de Minerais Ferrosos representou cerca de 95% do total investido na execução de projetos no período.

Segundo Luciano Siani, diretor financeiro da companhia, a empresa poderá diminuir investimentos em capex com novos projetos. “Com reduções adicionais, nos investimentos de S11D e em outros grandes projetos de manutenção como o projeto de redução de emissões de níquel - AER em Sudbury, podemos ter o objetivo de reduzir mais o Capex em 2018”, afirmou, em referência ao projeto de níquel da mineradora no Canadá, além do S11D no Pará. 

Minério de ferro
(Bloomberg)

Contato