Resultado da Telefônica Brasil é negativo, avalia XP Investimentos

No segmento de telefonia fixa, a XP avalia como natural e irreversível a redução na base de acessos da Telefonica Brasil
Por Edilaine Felix  
a a a

SÃO PAULO - Após a Telefônica Brasil divulgar que o lucro líquido do segundo trimestre deste ano recuou 5,6%, a XP Investimentos classifica o resultado como negativo e mantém uma visão neutra para as ações da companhia.

A equipe de análise da XP reforça a queda de 52,9% das adições líquidas do segmento de telefonia móvel, a fragilidade dos negócios fixos e a alta nas despesas operacionais, superior à receita.

No segmento de telefonia fixa, a XP avalia como natural e irreversível a redução na base de acessos da Telefonica Brasil. Por sua vez, no segmento móvel, acreditam que a empresa consegue se diferenciar e oferecer um serviço de melhor qualidade, destacando o serviço de transmissão de dados, que evoluiu 21%.

Avaliando os serviços prestados, a corretora destaca que a Telefônica Brasil segue apresentando qualidade operacional e no fornecimento de serviços, porém enfrenta dificuldades na telefonia fixa. Inclusive, recebeu recentemente determinação da Anatel para solucionar as interrupções no serviço de telefonia fixa em São Paulo. A XP também destaca que tem receios relacionados a matriz espanhola da companhia, devido a situação crítica do país. 

Sanções da Anatel
Por sua vez, a corretora acredita que a determinação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que proibiu as operadoras Claro, Oi (OIBR3, OIBR4) e TIM (TIMP3) de comercializar novas linhas, pode repercutir positivamente, "seja por meio da menor competição ou pela percepção de melhor qualidade dos serviços", avalia a XP.

Deixe seu comentário