Em petrobras

Mercado de opções: investidor que "apostou" em balanço ruim da Petrobras lucrou até 750%

Enquanto as ações da Petrobras caíram até 8% após a divulgação do resultado do 3º trimestre, várias "puts" (opções de venda) negociadas na Bovespa dispararam mais de 500% no dia; entenda como funciona este mercado

trader bolsa de Nova York - NYSE - Wall Street
(Brendan McDermid/Reuters)

SÃO PAULO - A terça-feira (14) marcou o fim da divulgação dos resultados corporativos referentes ao 3º trimestre e, dentre os mais de 40 balanços digeridos pelos investidores, o mais aguardado era o da Petrobras (PETR3, PETR4). Os números apresentados pela estatal na noite de segunda-feira (13) nem de longe animaram, principalmente por provisões inesperadas que achataram o lucro líquido e também pelas novas perdas de "market share" (leia a análise completa clicando aqui). Com isso, as ações derreteram até 8% na B3, influenciadas também pela queda de 2% do petróleo no mercado internacional e pelo pregão negativo na bolsa como um todo - o Ibovespa caiu 2,2% e fechou abaixo de 71 mil pontos pela 1ª vez desde desde 23 de agosto.

Mas pra quem acompanha o mercado financeiro, sabe que é possível obter lucro mesmo quando as notícias apontam apenas prejuízos. É o caso do mercado de opções, por exemplo: cinco contratos diferentes de opções de venda (também chamados de "puts") das ações da Petrobras com vencimento em 21 de novembro subiram mais de 500% apenas na terça-feira. Um deles, o PETRW65 (que dá o direito de vender PETR4 a R$ 15,00 até a próxima terça-feira), saltou 750%, fechando a R$ 0,18 (veja mais no quadro ao final da matéria).

Na prática: o investidor que abriu o homebroker na segunda-feira e comprou R$ 1.000 em opções PETRW65 ao preço de fechamento terminou o pregão de terça-feira com pouco menos de R$ 8.500 - ou seja: lucro bruto de quase R$ 7.500 (considerando os custos operacionais como corretagens e emolumentos). Como a alíquota de imposto de renda para operações com opções é de 15%, o lucro líquido da operação seria próximo de R$ 6.375.

O que é mercado de opções?
A opção é um derivativo negociado no mercado financeiro. E como qualquer derivativo, seu preço "deriva" da oscilação do ativo ao qual ela se lastreia - no caso de uma opção de ação, o contrato varia de acordo com as oscilações desta ação na Bovespa. Quem compra uma opção está adquirindo o "direito" de comprar ou vender alguma ação a um preço previamente estabelecido (chamado "preço de exercício", ou "strike") até um vencimento estabelecido. Já quem vende a opção tem a obrigação de atender a exigência daquele que comprou o contrato.

Tomando como exemplo o caso da Petrobras citado na matéria: quem comprou a opção de venda PETRW65 pode escolher se quer exercer ou não seu direito de vender as ações PETR4 a R$ 15,00 até o dia 21 de novembro; já quem vendeu a opção de venda terá a obrigação de comprar estas ações caso o detentor da opção exerça seu direito.

Embora o mercado de opções seja muito utilizado para operações de "hedge" (proteção), o baixo custo para acessar este mercado - muitas opções chegam a custar R$ 0,01 por contrato - atrai muitos especuladores que buscam rentabilidades explosivas em um curto espaço de tempo. No entanto, é preciso ter ciência dos riscos embutidos nestes investimentos, já que o investidor corre o risco de perder 100% do capital investido caso a opção que ele comprou não torne-se financeiramente interessante para ser exercida até o vencimento dela - o que no jargão deste mercado é dito que a opção "virou pó".

O InfoMoney tem uma página educacional com tudo que você precisa saber sobre opções e sobre os riscos deste investimento. Clique aqui e confira.

As opções de venda de PETR4 com vencimento em novembro que mais subiram na terça-feira:


Fonte: Nelogica

Contato