Por Lara Rizério Em petrobras  12 abr, 2013 19h14

Crise da dívida da Petrobras abre espaço para Exxon e Shell no leilão da ANP

Empresa possui maior dívida entre todas de petróleo de capital aberto, que foi quatruplicada desde 2008

Por Lara Rizério Em petrobras  12 abr, 2013 19h14

SÃO PAULO - A maior dívida em uma década está afastando as chances da Petrobras (PETR3;PETR4) de adquirir as licenças de exploração no 11º leilão da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis), que deve ser o maior do ano do setor dentro da América Latina, de acordo com matéria da Bloomberg.

Desta forma, a expectativa que companhias estrangeiras, como Exxon e Shell, entrem com boa parte das ofertas para os leilões. A Exxon tem sido a companhia mais ativa em requerer dados para o leilão no Brasil, que acontecerá em maio, citando um alto funcionário do Estado. 

A Petrobras é a empresa de petróleo de capital aberto mais endividada do mundo, com US$ 96 bilhões em dívida, nível quatro vezes maior do que o observado em 2008. 

O plano de negócios até 2017 da companhia sinaliza que a Petrobras será seletiva nas licitações, concentrando-se mais na exploração dos campos já existentes. Outros candidatos brasileiros também enfrentam dificuldades financeiras para investir em infraestrutura e para deslocamento da exploração da produção.

A Petrobras se recusou a comentar a sua estratégia para o leilão, limitando-se a dizer que a companhia tem ''o interesse em explorar  e produzir petróleo comercialmente em cada bacia no Brasil e vai avaliar a melhor forma de participação na os leilões ".

O governo brasileiro estima que o leilão pode render cerca de US$ 5 bilhões. Até a semana passada, 71 empresas demonstraram interesse em participação do leilão de rodada de área de exploração de petróleo no Brasil. Dentre elas, estão a OGX Petróleo (OGXP3), Queiroz Galvão (QGEP3) e HRT Participações (HRTP3). 

refinaria-petrobras-pasadena-eua
(divulgação)

Contato