Ação preferencial da Petrobras ultrapassa ordinária pela 1ª vez desde 2000

Num passo histórico, estatal anunciou dividendos maiores para os papéis preferenciais, deixando ações ordinárias menos atrativas
Por Paula Barra  
a a a

SÃO PAULO - Pela primeira vez desde 2000, as ações preferenciais da Petrobras (PETR3; PETR4) estão cotadas num preço acima das ordinárias. A mudança ocorre após a empresa anunciar um passo histórico: pagamento de dividendos diferente para cada classe de ativos. O dividendo dos papéis ON será muito menor do que os dos PN - R$ 0,47 e R$ 0,96 por ação, respectivamente. 

Por volta das 13h55 (horário de Brasília), as ações ordinárias da Petrobras despencavam 8,07%, indo para R$ 16,64, ao passo que os papéis preferenciais caíam 0,61%, alcançando R$ 17,89. No mesmo horário, o Ibovespa recuava 0,24%, atingindo 59.435 pontos. 

Essa alteração tem como objetivo principal, segundo o analista Eduardo Machado, da Amaril Fraklin, melhorar a eficiência operacional da empresa. "Esse corte provavelmente deve-se a necessidade de caixa da Petrobras, e como a União Federal é a maior acionistas da empresa - com 50,3% das ações ordinárias -, o governo, que seria o principal beneficiado, deve ter decidido abrir mão desse dividendo justamente para a companhia fazer uso do caixa e buscar crescimento de produção", disse.

O resultado operacional da empresa em 2012 foi muito fraco, pressionado por conta do aumento de despesas. A venda de combustíveis com prejuízo foi um dos fatores que pesaram no lucro anual, que recuou 36% na comparação com 2011, para R$ 21,18 bilhões, configurando o menor lucro anual da empresa desde 2004. 

Durante teleconferência de resultados, entretanto, a estatal negou alteração na sua política de dividendos, mas para o analista do Credit Suisse, Emerson Leite, essa diferença na distribuição é um "retrocesso em termos de governança". 

Histórico da relação dos papéis ON e PN
Nos últimos cinco anos, a relação entre os papéis ON e PN da estatal era de cerca de 0,8, ou seja, os papéis PETR3 valiam aproximadamente 18% a mais do que PETR4. Essa diferença, entretanto, vem diminuindo ao longo desses anos e marcava no final de 2012 uma relação de 0,99. 

Segundo Machado, essa diminuição ocorre pelas perspectivas mais obscuras sobre a empresa. "Como o governo detêm a maior parte das ações ON, o investidor buscava essa classe de ativos para ter maior segurança e, por isso, aceitava pagar um prêmio em relação aos papéis PN. Mas em função da ingerência do governo essa relação entre as ações vem reduzindo, já que o investidor não vê mais vantagens sobre a preferencial", argumenta. 

Para o analista, a forma como o governo utiliza a estatal coloca em xeque sua eficiência operacional, ao passo que a companhia não vem entregando bons resultados de produção.

Durante teleconferência, a própria presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que os reajustes de preços dos combustíveis não têm sido suficientes. Os três reajustes de preço do diesel, que somaram 16,1%, e os dois da gasolina, 14,9%, ocorridos nos últimos oito meses, não foram suficientes para eliminar as diferenças entre os preços domésticos e os internacionais, disse Foster. 

Diferença entre PETR3 x PETR4 nos últimos cinco anos:

Data PETR3 PETR4 PETR4/PETR3
30/12/2008  24,31  20,02 0,82
30/12/2009  37,99 33,24 0,87
30/12/2010 28,83 25,65  0,89
29/12/2011 22,33 20,86  0,93
28/12/2012  19,55 19,50  0,99
05/02/2013* 16,64 17,89 1,25
*Cotação das 13h50 (horário de Brasília)
Assuntos relacionados: Ações Bolsas Graça Foster Ibovespa

Deixe seu comentário