Em onde-investir / renda-fixa

Depois de passar aperto, médico começa a investir e atinge independência financeira aos 42

Médico conta sua trajetória de dificuldades em uma cidade ribeirinha no interior do Pará, até a independência financeira aos 42 anos

Dr. Francinaldo Gomes
(Acervo Pessoal)

SÃO PAULO – Francinaldo Gomes nasceu em uma família humilde na cidade ribeirinha de Abaetetuba, no interior do Pará. Apesar da falta de dinheiro, ele conseguiu, com muito esforço e dedicação, realizar seu grande sonho e se tornou neurocirurgião. Mesmo depois de formado Gomes ainda enfrentou problemas com a falta de dinheiro, mas com disciplina e dedicação ele passou a poupar, investir e conseguiu atingir a independência financeira aos 42 anos.

De família humilde, ele começou a trabalhar aos oito anos de idade para ajudar nas contas de casa. Órfão de mãe, ajudava seu pai na venda de geladinhos, salgados, doces e pipoca. No período da manhã trabalhava, à tarde ia à escola, e durante a noite revisava o conteúdo em casa.

Aos 14 anos decidiu que queria ser médico, aspiração considerada impraticável e até desnecessária por seus familiares. “Ninguém na minha família tinha estudado, por isso acharam que a ideia era algo inatingível e que eu precisava trabalhar, não estudar”, contou ao InfoMoney. Devido à constante negação, mudou-se para a capital paraense sem o consentimento do pai, a fim de cursar o terceiro ano do Ensino Médio em um colégio particular e entrar na faculdade de medicina da cidade.

Em Belém, Francinaldo passou a morar de favor na casa de seu tio, e para “pagar” pela moradia, acordava às 4h da manhã para ajudá-lo com a venda de caldo de cana. Apesar da bolsa de 50% na escola, era sempre chamado na secretaria pelo atraso nos pagamentos. “O dinheiro não era suficiente”, lembra. Foi no primeiro simulado da escola, porém, que provou sua dedicação. O 1º lugar no ranking geral o garantiu uma bolsa integral, além do custeio de todo o material didático utilizado - um incentivo para que continuasse com exímio desempenho. 

A excelente performance se repetiu na época dos vestibulares, garantindo-o o 1º lugar na Universidade Federal do Pará no curso de medicina. A notícia foi recebida com surpresa por seus familiares que, pela primeira vez, passaram a acreditar que a situação era possível.  Foi também devido às suas notas que conseguiu o 1º lugar no concurso de bolsa para Iniciação Científica, quantia que lhe ajudou com gastos de moradia na cidade, transporte, alimentação e livros.

No terceiro ano da faculdade conheceu sua esposa, Maria das Graças, que deu luz à Sara. Após o casamento e a conclusão do Ensino Superior, teve que frequentar o exército no sudeste do estado, onde serviu por um ano. “Lá eu ganhei bastante dinheiro trabalhando como militar e consegui manter minha família por um período”, conta.

Quando se mudou para São Paulo, em 2002, para estudar o campo da neurocirurgia e fazer residência na Escola Paulista de Medicina, não possuía conhecimento sobre finanças, não tinha o controle de seus gastos e por comprar coisas desnecessárias, contraiu dívidas, ficou com o aluguel atrasado, foi ameaçado de despejo, atrasou no pagamento do colégio da filha e ficou sem limite no cartão de crédito.

“O momento mais crítico foi o dia em que fomos no supermercado e quando passaram as compras no caixa, não tínhamos dinheiro para pagar. No caminho para casa, fiquei pensando que alguma coisa estava errada, já que tinha ganhado muito dinheiro no exército”, lembra. Analisando sua situação financeira, Francinaldo percebeu que o problema não estava em ganhar dinheiro, mas em como gastá-lo.

A partir deste dia, o médico passou a buscar conhecimento na área de finanças, procurando medidas para regularizar o seu planejamento financeiro e trabalhando mais horas para aumentar sua renda. “Deixamos de viajar, reduzimos nossas compras de bens e tornamos a comida uma prioridade. [Além disso], passei a estudar alternativas em renda fixa, fundos de investimentos e em ações”.

Em 2005, conseguiu reverter toda a sua situação financeira, quitando todas as dívidas e vendo o dinheiro começar a sobrar no final do mês. Nos investimentos, Francinaldo conheceu a possibilidade de fazer o dinheiro render sem precisar interromper a sua agitada rotina de médico, e por seu conhecimento em ambas as áreas, publicou em 2012, o seu primeiro livro: “Bolsa de Valores”, com o objetivo de ensinar médicos e profissionais da área de saúde, a investir, calcular valores de consultas e a administrar consultórios, clínicas e orçamentos.

Segundo ele, o maior problema dos médicos não é em ganhar dinheiro, mas em gerir e manter o patrimônio, o que se deve à falta de tempo e de conhecimento. “Os médicos não conseguem investir se não tiverem uma estratégia ligada a seus horários. Ou eles não cuidam, e só preocupam em ganhar dinheiro, ou delegam esta parte a terceiros”, afirma.  

Seguindo este objetivo, Fracinaldo lançou, no último dia 16 de março, seu segundo livro: "Finanças no Consultório", que busca orientar profissionais da saúde a cuidar de suas finanças pessoais e do consultório para obter lucros e alcançar a estabilidade financeira. 

Atualmente, é ele próprio quem monta e gere a sua carteira de investimentos, com alocações em renda variável, com ações de cinco empresas e três fundos imobiliários, assim como, em renda fixa, aplicando em LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) e em debêntures de ‘empresas com bons retornos’. “A melhor pessoa para cuidar do seu próprio dinheiro é você mesmo, pois só você sabe o que teve que passar para ganha-lo”, afirma.

Para aqueles que desejam alcançar a independência financeira, como ele, Francinaldo dá três conselhos: Não desista diante das dificuldades - elas sempre existiram e sempre existirão, mas cada um decide o que fazer diante delas; aprenda a gerir as suas finanças: um profissional que não sabe, vai virar funcionário daqueles que sabem; e invista em você: cursos, palestras, blogs e livros para que você aprenda a gerir seus recursos.

Contato