Por Gabriella D'Andréa Em onde-investir  31 ago, 2012 11h20

Não invista apenas naquilo que você conhece, afirma especialista

Conrado Navarro defende em artigo que investidor busque informações sobre outras aplicações

Por Gabriella D'Andréa Em onde-investir  31 ago, 2012 11h20

SÃO PAULO – Grande parte do que as pessoas conhecem sobre investimentos vem de ensinamentos passados por familiares ou amigos. Por isso,  muitos acabam investindo apenas naquilo que conhecem, de acordo com o educador financeiro Conrado Navarro, sócio-fundador do Dinheirama.

Ele ressalta que o Brasil sofreu muitas mudanças em sua economia após o Plano Real. E antes da entrada de nossa moeda atual, era comum as pessoas procurarem por aplicações mais seguras, como a poupança e os imóveis, que sempre foram "velhas conhecidas". Esse era, inclusive, seu caso. A mudança veio quando ele começou a se informar por meio de livros, jornais e artigos que tratavam de investimentos, além de consultar profissionais da área.  

Segundo ele, um dos erros clássicos diz respeito à renda fixa. A maioria das pessoas acredita que basta aplicar em um fundo conservador, indicado pelo gerente do banco para ter um rendimento razoável com baixo risco. No entanto, existem outras aplicações que geram melhor rentabilidade, que é o caso dos títulos públicos emitidos pelo programa Tesouro Direto.

Com papéis prefixados, ou pós-fixados que variam de acordo com a inflação ou a Selic (taxa básica de juros), é possível obtê-los através da internet. “Ora, por que pagar taxa de administração ao banco se podemos comprar os mesmos títulos diretamente?”, indaga Navarro, em artigo publicado em seu site. O problema é que muitos ainda não conhecem o programa e ficam com receio de aplicar seu dinheiro diretamente neste tipo de título.

Outro equívoco cometido por alguns é pressupor que o mercado de ações possui apenas especuladores e que é como um jogo de cassino.“A realidade é outra: o mercado de ações é a forma mais barata de uma empresa financiar-se, já que ao lançar ações ela quer sócias que acreditem nela. Ou seja, é fundamental para o crescimento do País como um todo”, defende o especialista.

Questione-se
Para saber se você se encaixa no perfil dos investidores que aplicam apenas naquilo que lhes é conhecido, Navarro elaborou uma breve lista com algumas questões:

  • Onde você investe seu dinheiro atualmente?
  • Por que escolheu esta(s) alternativa(s)?
  • A rentabilidade acumulada satisfaz seus objetivos?
  • Você cria justificativas ou inventa dificuldades para não investir em outro produto, preferindo usar o dinheiro para consumir?
  • Faria diferente se tivesse mais conhecimento relacionado a investimentos?
  • Será que não é possível investir melhor?

Pesquisa
O estudo “Do individual investors have asymmetric information based on work experince?”, realizado pelos pesquisadores Trond M. Doskeland, da Norwegian School of Economics and Business Administrations e Hans K. Hyide, da Aberdeen Business School, mostra que quem investe em ações somente de sua empresa ou de sua área tem resultados mais baixos do que a média do mercado. E a sugestão é exatamente a proposta do artigo de Navarro: diversficar, apostando no desconhecido. 

Conrado Navarro - sócio-fundador do Dinheirama
(Reprodução/TopMoney)

Contato