Em negocios / startups

Avaliações negativas baniram 4 mil taxistas de aplicativo

Corte representa cerca de 5% da frota de motoristas da 99Táxis no país

táxi
(Ivakoleva/shutterstock)

SÃO PAULO – O aplicativo de transporte 99Táxis anunciou na última quarta-feira o afastamento de cerca de 4 mil taxistas por receberem avaliações negativas de usuários. O número representa algo em torno de 5% da frota de motoristas do app no Brasil, que conta com 80 mil motoristas.

Segundo a empresa, o corte foi feito depois de ser oferecida uma chance aos motoristas: aqueles que tinham a avaliação abaixo de um limite foram avisados há “mais de um mês” que precisariam melhorar o comportamento antes do afastamento efetivo. A avaliação limite era de 4,2 estrelas.

A atitude foi tomada em paralelo a medidas que já impossibilitam que passageiros tenham experiências desagradáveis com um mesmo motorista: se um usuário der nota menor que 3 estrelas a um taxista, o aplicativo não permitirá que aquele carro atenda futuras solicitações daquele cliente.

As queixas são amplas: de cheiro de cigarro a falta de educação, passando por cancelamentos e percursos mais longos do que o necessário. De acordo com a startup, a estratégia do afastamento de motoristas mal avaliados vem da busca por maior número de usuários na plataforma.

Easy

Em evento nesta quinta-feira, a Easy Táxi – que agora é apenas Easy – disse que também monitora as avalições de usuários, mas que analisa melhor os casos antes de dispensar determinado motorista. Segundo Fernando Matias, CEO da empresa, o número de banidos desde março, quando o programa de análise das avaliações começou, “não passou de 2 mil”.

Como taxistas precisam passar por uma capacitação oferecida pela Prefeitura para conseguir o alvará, não há cursos ou treinamentos específicos para esses motoristas em nenhum dos dois aplicativos. Isso significa, na prática, que os únicos avaliadores pessoais dos motoristas são os usuários.

Contato