Em negocios / startups

Investidor-anjo: conheça mais e saiba como conseguir um financiamento

Ações como a da Anjos do Brasil e da Finep ajudam empreendedores na carreira e no sucesso de novos negócios

Cassio Spina
(divulgação)

SÃO PAULO - Termo disseminado nos Estados Unidos começa a ser conhecido no Brasil. O investidor-anjo é uma pessoa física, que como um anjo, ilumina a vida de empresas nascentes, as chamadas startups. Ele um profissional que injeta recursos financeiros em empresas inovadoras, empreendedoras, que possam se destacar e impactar na criação de empresas de alto valor agregado.

Teoricamente qualquer empresa poderá receber investimento, desde que tenham a inovação como característica principal e apresente um modelo de negócio diferente do que já existe. “Os setores mais ligados a tecnologia, certamente apresentam maior potencial em inovação”, diz o fundador da Anjos do Brasil, Cassio A. Spina (foto).

Criada por Spina, a Anjos do Brasil é entidade de fomento e crescimento do investimento-anjo para apoiar o empreendedorismo e a inovação. A entidade não realiza investimentos diretos e sim apoia investidores e empreendedores na negociação.

Quem é este anjo?
O investidor-anjo é normalmente um empreendedor com uma carreira de sucesso que aloca parte de seus recursos em novas empresas. "Esse investimento não é filantropia e sim financiamento e apoio em um empreendedor que tenha chances de sucesso”, diz Spina. 

Entre as características apontadas por ele para um empreendedor receber um investimento-anjo, o empreendedor deve ter um mercado amplo, não pode estar limitado a poucos clientes; ser escalável e não depender muito de outros setores.

Outros anjos
Quem também realiza ações de investimento-anjo é a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos ), que tem projetos para empresas e investidores. O chefe do departamento de Empreeendedorismo Inovador da Finep, Raphael Braga, explica que a entidade organiza eventos para capacitação e conhecimento dos interessados. “É um espaço para a promoção do conhecimento sobre a indústria, um espaço legal para a troca de experiência”.

Os fóruns realizados pela Finep, os chamados de fóruns regionais, já capacitou 200 empresas sendo que 45 delas receberam investimentos. A Finep considera investimento de qualquer modalidade – anjo, fusão, aquisição, de fundo, investidor estratégico. “Alguma modalidade de investimento surgiu dessas empresas que participaram do fórum”.

Sucesso
André Street conhece bem as possibilidades da grande rede. Aos 15 anos, ainda no colégio, criou seu primeiro negócio, a PagaFácil. Aos 23, já tinha participações em quatro companhias, uma delas a Braspag, empresa de soluções de pagamento on-line vendida em maio pelo Grupo Silvio Santos para o Grupo Cielo.

Hoje, com 27 é um dos sócios da grupo que busca ajudar empresários a construir negócios de sucesso no Brasil e no exterior. "É fundamental entender do negócio em que vai investir e saber as intenções do empreendedor. Não existe construção de portfólio pautada por amizade", afirmou.

Para conseguir um anjo
Spina recomenda aos empreendedores interessados em receber um investimento anjo que acesse o site, para conhecer as regras. “Para o investidor a época é muito oportuna, taxa de juros caindo, a taxa de oportunidade aumenta”.

Para o investidor, antes de aplicar recursos em uma startup ele recomenda conhecer e saber o que espera dela. Vale lembrar que o investimento-anjo fica entre R$ 100 mil e R$ 500 mil, podendo chegar até R$ 1 milhão.

Os fóruns regionais da Finep recebem entre 100 a 150 cadastros de startups. Dessas o programa seleciona entre 40 e 50 para uma banca presencial com alguns parceiros, anjos. Por fim, selecionam de 12 a 15 empresas para participar do programa de capacitação.

Esses fóruns não são setoriais, o gerente de empreendedorismo da Finep destaca que eles englobam os mais diferentes setores, “desde que a inovação seja um diferencial relevante para essas empresas”.

Contato