Em negocios / noticias-corporativas

Coach de carreira pontua os principais erros na hora de buscar emprego

Consultoria profissional é ferramenta indispensável para quem busca recolocação no mercado e autorreflexão sobre a trajetória profissional.

Gerenciar a própria carreira. Quantos são os profissionais que dedicam tempo e atenção à análise da própria formação e quais são as perspectivas de emprego no ramo em que atua? Esta pergunta, aparentemente retórica, pode ser justamente a "pausa" para refletir sobre como se está cuidando da trajetória que pretende seguir no mercado de trabalho.

Muito mais do que escolher quais vagas deseja ocupar, há de se definir, por exemplo, o que é "sucesso" e como, de fato, chegar até ele. Neste processo, elementos como a própria oscilação do mercado e oportunidade de inovação no setor de atuação podem ser soluções que estão sempre próximas da realidade, mas distantes da percepção. Por isso, profissionais como HeadHunters e Coach de Carreira são fundamentais. Uma visão "cirúrgica" de fora pode ser a chave para desencadear prosperidade na busca pelo primeiro ou por um novo cargo.

"Todos os dias recebo em meu escritório inúmeros profissionais em busca de recolocação e aconselhamento de carreira, e a vivência de mais de 12 anos como Headhunter e Coach de Carreira me trouxeram muitos aprendizados", afirma Bruno Cunha, especialista atuante nas áreas citadas. Para ele, perguntas recorrentes como "Por que existem pessoas empregadas e eu estou desempregado?" podem começar a ser solucionadas metodicamente com o primeiro passo: gerenciamento de carreira. "As regras do mercado de trabalho mudam a todo momento e atualmente os fatores que interferem em nossa empregabilidade já não são mais os mesmos que antes", pontua.

Ao citar "regras de mercado", Bruno remete à importância de considerar possíveis erros que venham a dificultar a busca e manutenção de um cargo. Podem parecer noções básicas - e são -, considerando a complexidade da realidade trabalhista do país (em momento de crise). É justamente por este motivo que profissionais devem se atentar no momento de guinar a carreira.

Bruno, que também é diretor da empresa Pontus Consultoria em RH, destaca

A forma de buscar um novo emprego mudou muito nos últimos anos. Não mais deixamos currículos em papel nem preenchemos fichas nas empresas. Porém, alguns cuidados continuam sendo importantes. Bruno Cunha, Headhunter & Coach de Carreira da Pontus Consultoria em RH revela os principais erros de quem está no processo de recolocação profissional:

1 - Pouca referência sobre Empregabilidade
Não compreender seu grau de empregabilidade e não saber em que mercado competir pode ser o fim de algo que nem ao menos começou. A falta de direcionamento resulta não apenas em gasto de tempo com oportunidades que pouco se encaixam ao perfil profissional, mas também estagnação - já que o indivíduo permanece em busca de algo que não sabe bem o que é.

2 - Não mensurar as próprias competências
Erro recorrente. Não conhecer os próprios talentos e suas oportunidades de melhoria, criar uma grande miopia referente às próprias habilidades e competências, e abrir expectativas de poder ocupar um cargo ou posição sem ter o perfil comportamental adequado dificulta qualquer chance de recolocação profissional.

3 - Tentar se adequar a vagas aleatoriamente
Não conhecer seu perfil profissional acarreta na visão distorcida de que é possível ocupar qualquer vaga - sem critério. Num mercado de trabalho tão competitivo, dar ênfase às especificações torna-se o diferencial, e isso pressupõe abrir mão de alguns cargos pouco correspondentes à formação que se teve ao longo dos anos;

4 - Propor salários fora da realidade do mercado
Tanto para valores altos quanto para valores muito baixos, propor um valor errado pode ser o fim da disputa pela vaga. São necessárias pesquisas em diversas fontes - tanto em sindicatos ou outros órgãos que delimitem um valor base para a profissão exercida, como também consultar quem já trabalha na área há tempos e pode compartilhar informações sobre salários;

5 - Desorganização no momento de compor o currículo
Não ter um currículo bem elaborado pode fragilizar a primeira etapa do processo seletivo: o recrutamento, nem sendo convidado para uma entrevista. O cv é, literalmente, seu resumo profissional. Logo, organização e clareza são requisitos básicos;

6 - Pouca experiência com entrevistas de emprego
Comunicar-se e saber comunicar sobre si mesmo requerer autorreflexão sobre o campo pessoal e profissional. Postura, objetividade, atenção, empatia e domínio total da oratória precisam ser transmitidos durante a entrevista de emprego. Não dominar as técnicas de entrevistas e fragilizar sua apresentação pessoal, onde muito candidatos são reprovados pois não sabem expressar o que tem de melhor;

7 - Netwroking pouco desenvolvido
Definir qual segmento de mercado quer atuar também pressupõe conhecer quem são os principais nomes que ganham destaque pelos trabalhos que executam. Não investir em networking profissional é como saber onde deseja chegar, mas não tem noção de quem pode lhe fornecer conhecimento sobre a área e, inclusive, ouvir sobre seus projetos. Visibilidade profissional também está atrelada à capacidade de criar uma rede de contatos sólida com diferentes pessoas a compartilhar informações úteis.

"Mesmo com estas dicas, a consulta a um HeadHunter é fundamental, uma vez que tal profissional tem conhecimento sobre as diretrizes que uma carreira pode tomar", enfatiza Cunha, que também produziu um e-book (http://www.pontus.com.br/E-book10PassosParaConquistarSuaRecoloca%C3%A7%C3%A3oProfissional.pdf) com informações úteis para iniciar o gerenciamento profissional. Os serviços da Pontus, por sua vez, podem ser conhecidos no site oficial da empresa (http://www.pontus.com.br).
Website: http://www.pontus.com.br

Contato