Em negocios

Ford processa ator após revenda de esportivo de R$ 1,5 milhão

A acusação se refere a quebra de contrato e lucro ilegal com uma revenda do novo GT

SÃO PAULO - A Ford abriu um processo contra o ator e ex-lutador John Cena. A acusação se refere a quebra de contrato e lucro ilegal com uma recenda do novo GT, pouco tempo depois do carro ter sido entregue a ele, segundo a Forbes.

Segundo o contrato, o ator só poderia se desfazer do carro depois de dois anos. No entanto, revendeu o esportivo azul apenas um mês depois de ganhá-lo da fabricante.

A Ford selecionou os compradores do GT através de um processo seletivo pela internet, em que pessoas influentes nas redes sociais teriam mais chances de ganhar a edição limitada do modelo.

O ator foi um dos escolhidos para comprar o carro, e pagou US$ 463.376, cerca de R$ 1,5 milhão pelo modelo em setembro deste ano. Semanas depois a fabricante descobriu que ele teria revendido o modelo.

Ele alegou que vendeu o carro para “cobrir gastos” e afirmou que iria “acertar as contas com a fabricante”, mas a Ford alega que não recebeu o carro, nem o lucro obtido com a venda de volta.

"Com base em informações que obtemos, o Sr. Cena teve um alto lucro com a revenda não autorizada do veículo, e a Ford sofreu danos e perdas adicionais, incluindo, entre outras, perda de valor de marca já que p Sr. Cena deveria atuar como embaixador”, disse a fabricante de automóveis no processo.

A Ford pede US$ 75 mil, cerca de R$ 246 mil, de indenização. O juiz do caso ainda não deu um veredito ao processo.  

Ford GT
(Divulgação)

Contato