Pesquisa: 56% das empresas tinham sites próprios em 2010

Ao considerar aquelas que estão presentes na web por meio de sites próprios ou em páginas de terceiros, o indicador sobe para 63%. No ano anterior, eram 57%
Por Karla Santana Mamona  
a a a

SÃO PAULO – As empresas estão investindo mais para aumentar a sua presença na internet. Um levantamento realizado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil revela que, no ano passado, 56% das empresas tinham site próprio. Na comparação com 2009, houve um aumento de seis pontos percentuais.

Ao considerar aquelas que estão presentes na web por meio de sites próprios ou em páginas de terceiros, o indicador sobre para 63%. No ano anterior, eram 57%.

Na análise por região, o Sudeste e o Sul se destacam, com 59% e 56% das empresas presentes na internet, respectivamente. Em seguida, aparecem o Nordeste, com 50%, Centro-Oeste, com 47% e o Norte, com 44%. Entre as empresas de grande porte (acima de 250 funcionários), a proporção de organizações com sites sobe para 90%.

Entre os segmentos com mais páginas na internet, estão informação e comunicação, artes, cultura, esporte e recreação e outras atividades de serviços, com 72%, e atividades imobiliárias, atividades profissionais, científicas e técnicas, atividades administrativas e serviços complementares, com 68%. Já o comércio é o que apresenta o menor percentual, de 43%.

Certificados digitais
Em relação à segurança na internet, o estudo revela ainda um crescimento expressivo na proporção de empresas que utilizam certificados digitais, passando de 38% em 2009 para 53% em 2010.

Outras tecnologias também apresentam expansão, considerando-se a série histórica da pesquisa: o uso de senhas e PINs cresceu de 57% para 79%, e o uso de tokens e smartcards, alta de 19% para 25%.

Vale destacar que, quanto maior o porte, maior a proporção de empresas que utilizam alguma tecnologia de autenticação (apenas 1% não utiliza nenhuma das pesquisadas): 96% utilizam senhas, 73% certificados digitais e 34% tokens ou smartcards.

Estabilidade
No geral, o Comitê Gestor da internet acredita que os resultados da pesquisa apresentam um cenário de estabilidade em comparação ao que vinha sendo observado nos anos anteriores. A presença de computadores nas empresas investigadas permanece no patamar de 97%. Nas pequenas empresas (10 a 19 funcionários), o índice é de 97%, mesmo percentual registrado em 2009, enquanto as empresas com 50 funcionários ou mais registram índice de 100%.

Considerando a atividade econômica, o uso do computador cai para 89% entre as empresas do segmento alojamento e alimentação, menor índice entre os setores pesquisados. Já no segmento transporte, armazenagem e correio, todas as empresas declararam utilizar computador.

O acesso à internet está presente em 95% do universo pesquisado. Dentre as empresas com mais de 250 funcionários, todas acessam a web. “A pesquisa de 2010 revela que esses indicadores estão atingindo estabilidade, o que indica um ponto máximo de expansão do uso do computador nas empresas com mais de dez funcionários”, afirma o gerente do comitê, Alexandre Barbosa.

Ele acrescenta que a universalização do computador e da internet nas empresas brasileiras, além do avanço da conectividade, não refletem maior nível de apropriação da tecnologia.

“Isso se comprova pela estabilidade no conjunto de indicadores que denotariam maior integração da cadeia produtiva, como os de transações realizadas no ambiente virtual. Agora que as empresas já substituíram o papel pelo computador, chegou a hora de aproveitar todo o potencial das TICs. Isso vai incrementar ainda mais as relações entre empresas, clientes e governo apoiadas na internet”, finaliza Barbosa.

Deixe seu comentário