Em negocios / grandes-empresas

Dono da empresa de refrigerantes Dolly é preso em SP

Laerte Codonho, foi preso pela Polícia Militar na manhã desta quinta-feira (10) por fraude fiscal

Dolly
(Divulgação)

SÃO PAULO - O dono da empresa de refrigerantes Dolly, Laerte Codonho, foi preso pela Polícia Militar na manhã desta quinta-feira (10) em sua casa na Granja Viana, na Grande São Paulo. Ele é investigado por fraude fiscal estruturada, organização criminosa e lavagem de dinheiro. As fraudes chegariam a R$ 4 bilhões. 

Codonho foi levado ao 77º Distrito Policial, em São Paulo, onde cumprirá prisão temporária. A operação, que envolve o Gadec (grupo do Ministério Público para combate à formação de cartel e lavagem de dinheiro), a Procuradoria-Geral do Estado e a Polícia Militar, também apreendeu três helicópteros e 13 carros de luxo e de colecionador do empresário. 

"A empresa é uma das maiores devedoras do Estado de São Paulo", informou o MP em coletiva. Segundo a investigação, a empresa possui uma dívida bilionária constituída por fraudes "praticadas ao longo de muitos anos", que começaram com a emissão de notas fiscais irregulares e evoluíram para empresas em nome de laranjas. 

Além de Laerte Codonho foram presos Rogério Raucci, ex-contador responsável pela montagem de esquema de empresas voltadas à sonegação, lavagem de dinheiro e blindagem patrimonial, e Júlio César Mazzi, ex-gerente financeiro da empresa. "A operação foi deflagrada, mas as investigações continuam", informou o MP. 

Contato