Em negocios / grandes-empresas

Lollapalooza é multado em R$ 1 milhão por práticas abusivas

A T4F Entretenimentos proibiu entrada de copos de água lacrados e cobrou taxa elevada de resgates de reembolso 

Lollapalooza
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A T4F Entretenimentos (Tickets For Fun) foi multada pelo Procon-SP em R$ 971 milhões por práticas abusivas e falta de informações essenciais durante a realização do festival Lollapalooza entre os dias 23 e 25 de março, em São Paulo. A empresa ainda responderá por processo administrativo.

Segundo o Procon-SP, a prática abusiva foi configurada ao proibir a entrada de pessoas com copos de água lacrados, quando ela própria vendia o produto nas mesmas condições no espaço do evento. Dessa forma, tirava o direito de escolha do consumidor.  

Além disso, a empresa cometeu o mesmo erro ao adotar uma pulseira denominada “Lolla Cashless by next” de créditos pré-pago, para consumo dentro do evento, cobrando uma taxa de 5% nos resgates de saldo remanescente. Para o Procon-SP, tratava-se de uma vantagem manifestamente excessiva, por repassar ao consumidor um custo inerente à atividade. 

Outra falha detectada foi a ausência de informações nos postos de recarga das pulseiras sobre o reembolso de saldo excedente após finalização do evento, obrigando o consumidor a consultar outros meios.

Salto de 45% no número de reclamações
O Lollapalooza Brasil 2018 levou mais de 300 mil pessoas aos três dias de festival e parte deles registrou algumas insatisfações no site Reclame Aqui. O levantamento feito pelo site aponta o registro de 58 reclamações de consumidores, somente no mês de março - aumento de 45% das queixas contra o festival em relação ao ano passado.

Na página de reclamações da Tickets For Fun, que vendeu os ingressos, foram registradas 89 queixas. Entre elas, muitas reclamações foram sobre a pulseira LollaPass não ter sido entregue no prazo.

Contato