Em negocios / grandes-empresas

Presidente da Uber pede demissão após série de polêmicas

A empresa tem enfrentado uma série de polêmicas envolvendo machismo e assédio sexual

SÃO PAULO – O presidente do aplicativo de caronas Uber, Jeff Jones, anunciou que deixará o seu cargo na empresa. A notícia, reportada primeiramente pela Recode, foi confirmada tanto pelo executivo quanto pela Uber e, de acordo com o portal, a atitude está diretamente relacionada às polêmicas envolvendo a companhia, como acusações de machismo e assédio sexual.

Segundo o portal, Jones percebeu que o cenário não era aquele para o qual tinha sido contratado, principalmente quando o CEO da Uber, Travis Kalanick, anunciou que procuraria por um novo COO para ajudá-lo a atravessar o momento conturbado pelo qual passa a companhia.

Fontes afirmam, porém, que não foi esse o motivo de sua saída, mas que ele concluiu que a situação da empresa era mais problemática do que pensava. “Eu me juntei à Uber devido à sua missão e ao desafio de construir capacidades globais para ajudar a companhia a amadurecer e prosperar no longo prazo. Fica claro agora, porém, que as crenças e abordagens da liderança que guiaram minha carreira são inconsistentes com o que eu vi e vivi na Uber, e eu não posso mais continuar como o presidente deste negócio”, afirmou Jones em comunicado.

Ex-diretor de marketing na Target, Jones ocupava o cargo de presidente da Uber há apenas seis meses, e utilizou esse tempo para se aproximar dos motoristas. “Fica claro que ainda há muito o que fazer para melhorarmos. É escutando que conseguimos nossas melhores ideias, porque elas vêm de você, das pessoas que usam o Uber todos os dias”, escreveu.

Uber
(Divulgação )

Contato