Em minhas-financas / turismo

É hora de comprar dólar? Especialistas comentam

Em cenário de caos político, especialistas explicam a melhor opção para os viajantes

SÃO PAULO – Em clima de terremoto político, com denúncias de suposta obstrução de Justiça por parte do presidente Michel Temer na operação Lava Jato, a dúvida que persiste entre os viajantes é sobre o ideal momento para a compra de dólar.

Após a moeda norte-americana mergulhar e bater a mínima em quase dois meses, chegando a R$ 3,09 (comercial) na última terça-feira (16), o valor atingiu R$ 3,41 na manhã desta quinta-feira (18).

Em entrevista ao InfoMoney, Mauriciano Cavalcanti, especialista de câmbio na Ourominas, explicou que o mercado abriu e fechou nesta manhã e que no momento, está parado, ou seja, ninguém está comprando nem está vendendo. “Neste momento, o turista não vai conseguir comprar dólar para viajar, e se conseguir, vai pagar muito caro”, diz.

Segundo o especialista, a maioria as corretoras de câmbio não estão operando nesta quinta-feira. O InfoMoney entrou em contato com 4 casas de câmbio por telefone e apenas uma estava vendendo a moeda - ainda assim em pouca quantidade e por R$ 3,50, bem acima da cotação do dia anterior.  

Dada a proporção das notícias, a expectativa, segundo ele, é de que o mercado fique parado o dia todo. “Agora o momento é de espera, temos que analisar para ver o que vai acontecer”.

Ronaldo Bella, assessor de investimentos na Allux Investimentos, explica que o dólar reage ao Ibovespa de forma inversa, ou seja, quando há uma entrada muito grande de capital (recurso estrangeiro) na bolsa, o dólar cai. Por outro lado, com a saída de capital, haverá menos dólar para ser negociado e uma maior procura, pressionando o dólar para cima.

“Com o andamento das coisas, o dólar deve permanecer valorizado. Hoje, ele já está subindo mais do que 8%. O governo pode até intervir para aliviar a pressão, mas é difícil fazer qualquer tipo de previsão”, diz.

Com relação à compra de dólar turismo, o especialista afirma que devido às incertezas do mercado, a melhor opção é fazer compras parceladas, de forma a estabelecer uma média das cotações. “O ideal é não tentar acertar o topo nem o fundo”, diz. Outra sugestão, para os viajantes que já têm o valor em reais para a viagem é aplicar a quantia em um fundo cambial, de forma a se proteger da alta da moeda norte-americana. “Você não está investindo esse dinheiro, apenas o protegendo para se subir ou cair a cotação, o seu poder de compra seja mantido”, completa.

Dólar
(Marcos Santos/USP Imagens)

Contato