Em minhas-financas / seguros

Seguro de vida é alternativa para executivos em casos de sucessão

Perda de um dos sócios pode impactar significativamente as operações das empresas

Executivo
(fizkes)

*Escrito por Mongeral Aegon

Uma das novas preocupações do mundo corporativo é a perda de um dos sócios, principalmente quando é causada pela morte. Além do impacto emocional para o corpo de executivos, esta situação pode trazer um novo membro para o quadro da empresa, afetando diretamente o dia a dia das operações.

Em muitos casos, isso pode ser um fator crítico para o negócio, principalmente quando o herdeiro não tem o perfil necessário ou até mesmo o interesse de integrar esta nova atividade. E é com este cenário que o mercado segurador desenvolveu o seguro de vida com foco em sucessão empresarial.

Este é um tipo de produto de seguro com cobertura de morte. O diferencial desta solução é justamente que o contratante é a empresa, os segurados são os executivos do corpo diretivo da companhia e a beneficiária é a própria empresa jurídica. O valor de indenização é geralmente utilizado para a liquidação de cotas da participação societária do executivo que faleceu.

“Embora o foco da cobertura seja a de morte, algumas soluções de mercado oferecem, também, a formação de uma reserva”, explica Patrícia Costa, gerente de Produtos e Inteligência de Mercado da Mongeral Aegon.

Além destes benefícios, o seguro de vida apresenta outras vantagens. “Esta é uma cobertura que usualmente oferece grandes capitais segurados. Outro benefício é de que não incide imposto de renda em cima do capital segurado, além de garantir a liquidez imediata”, finaliza Patrícia.

Contato