Em minhas-financas

No meio da crise, perdeu o emprego? Confira 10 dicas sobre o que fazer

Após demissão, profissionais experimentam súbita redução na autoestima, mas precisam dar a volta por cima

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - "Pesquisas já demonstram que a carga estressante que advém da demissão é significativa, superada apenas pelos eventos mais dramáticos da vida humana, como morte de cônjuge ou familiares próximos, divórcio, prisão. Perfeitamente explicável, pois o emprego tem posição central na vida das pessoas, associa-se com sua identidade, ocupa a maior parcela do seu tempo, organiza suas relações com os outros".

Trata-se de um trecho do livro "Empreendedorismo e excelência em RH", escrito pelo presidente da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Hélio Rangel Terra, e publicado pela Editora Gente.

Ele explica que o impacto da demissão se observa nos âmbitos social, profissional, econômico e psicológico. A pessoa tem uma súbita redução em sua autoestima, sente culpa, fica ansiosa, se vê obrigada a cortar gastos. Ainda mais no momento atual, de crise mundial, muitos profissionais estão se vendo nessa situação. Porém, a carreira precisa voltar aos eixos, de forma que é essencial dar a volta por cima.

O que fazer
O presidente da Curriculum.com.br, Marcelo Abrileri, elaborou dez dicas indispensáveis para quem perdeu o emprego recentemente e não sabe por onde começar:
  1. Organize sua rotina: Procurar trabalho é um trabalho. Como se estivesse trabalhando 44 horas semanais, dedique no mínimo oito horas por dia à busca de um novo emprego. Além disso, divida seu tempo para cada atividade - contatos, entrevistas, preparação de currículos e cartas e envio de correspondências. Estabeleça prazos e metas. Dessa forma, além de ampliar suas chances de sucesso no processo, você se mostrará um profissional altamente organizado e, ao ser contratado, já estará habituado a uma rotina de trabalho normal;


  2. Planeje suas despesas: Calcule até quando suas reservas serão suficientes para mantê-lo. Se acreditar que é necessário esticar seus recursos, revise seus gastos, busque alternativas para eles e encare a possibilidade de outras fontes de renda durante o período em que estiver buscando um emprego;


  3. Busque informações sobre sua área de atuação e se atualize: Leia os livros mais recentes sobre sua área, assim como revistas, periódicos e artigos na internet. Participe também de fóruns de debate, palestras, congressos e cursos. Toda informação sobre sua área de interesse é valiosa tanto para o seu próprio desenvolvimento quanto para a troca de informações, o que, por sua vez, irá favorecer o desenvolvimento de seu networking;


  4. Prepare um bom um currículo: O currículo continua sendo a mais importante peça de marketing para quem procura emprego. Para ter um bom currículo, relembre tudo o que você já realizou em sua carreira e escreva, sem julgar o que é importante e o que não é. Em seguida, selecione as mais importantes realizações. Cuidado para não colocar informações em excesso no currículo, bem como para fugir de clichês como "sou proativo, criativo e sei trabalhar em equipe". Prefira contar, na entrevista de emprego, situações do passado que comprovem suas competências profissionais;


  5. Ative seu networking: A rede de relacionamentos é crucial para a recolocação. Retome contatos que foram deixados para trás e solicite orientações aos seus contatos. Todo o conteúdo produzido anteriormente para compor seu currículo é igualmente útil para quando você for se apresentar aos seus contatos e às suas indicações. Por isso, aprenda a fazer uma rápida e eficaz apresentação sobre quem é você e o que você faz de melhor;


  6. Cadastre seu currículo: A internet é um dos principais meios utilizados pelas empresas na hora de contratar. Não deixe de colocar seu currículo nos principais sites de emprego. Além disso, entre nos sites das empresas que gostaria de trabalhar e veja se há um banco de talentos. Não raro, o canal para o cadastro de currículo é chamado "Trabalhe Conosco". Caso a empresa não tenha esse espaço em sua página da internet, entregue o currículo pessoalmente na portaria da empresa ou envie pelo correio, tendo o endereço correto;


  7. Candidate-se a vagas: Além de ampliar suas chances de fazer entrevistas, seu contato contínuo com as vagas e oportunidades ajudam você a se manter informado e em sintonia com os movimentos do mercado de trabalho. Retorne aos sites em que cadastrou seu currículo e candidate-se a vagas compatíveis com seu perfil, seus conhecimentos e suas habilidades;


  8. Prepare-se para entrevistas: O conteúdo que você produziu para o currículo também será útil para as entrevistas, ao responder a perguntas sobre suas realizações. Mas prepare-se também para questões difíceis como "quais seus pontos fracos?", "por que você saiu do emprego anterior?" ou "por que acredita ser o melhor candidato para trabalhar conosco?". E lembre-se de estudar sobre a empresa antes da entrevista: analise sua cultura organizacional, o modo como ela se comunica com o mercado, o que ela oferece e as atividades empreendidas. E atenção: colha informações durante as entrevistas. Elas poderão ser úteis não só para sua atuação no processo seletivo em questão, mas também para todo o seu processo de busca;


  9. Mantenha otimismo e foco durante o processo: A negatividade apenas irá afastar as oportunidades. As pessoas gostam de gente otimista, de bem com a vida e que sabe o que quer. Além disso, o pessimismo apenas irá deixá-lo mais nervoso e ansioso durante as dinâmicas e entrevistas;


  10. Em época de crise, seja mais flexível ao negociar sua remuneração: O ditado popular "mais vale um pássaro na mão do que dois voando" pode ser verdadeiro. Em caso de longos períodos desempregado, seja flexível na hora da negociação. Caso a empresa ofereça remuneração abaixo da pretendida, avalie em quanto tempo ela pode oferecer crescimento para você, incluindo promoções e aumentos. Às vezes, pode valer a pena começar com um salário um pouco menor, mas com bons benefícios ou um bom plano de carreira definido dentro da empresa. Se não conseguir o salário desejado, tente compensar com bônus. É uma forma inteligente de conseguir novamente o antigo salário, comprometendo-se com sua performance. Em último caso, talvez seja sábio aceitar um salário menor, mas continuar a buscar o emprego e o salário que deseja. O importante é não ficar muito tempo afastado do mercado!

Contato