Executivo da Sony explica o alto preço do PS4 no Brasil; veja gráfico

Segundo a Sony, 63% dos R$ 3.999 são destinados às taxas e impostos aplicados ao produto durante o processo de importação
Por Luiza Belloni Veronesi  
a a a

SÃO PAULO - Após frustrar consumidores ao trazer o PlayStation 4 ao Brasil por R$ 3.999, a Sony explicou em seu blog oficial como chegou ao valor final do produto.

No anúncio, o General Manager da América Latina, Mark Stanley, diz que houve uma “confusão e informações imprecisas” sobre as políticas de impostos de importação do Brasil e sobre o preço de varejo do PS4. Segundo Stanley, 63% dos R$ 3.999 são destinados às taxas e impostos aplicados ao produto durante o processo de importação. “Esses impostos são muitos – precisamos considerar o IPI sobre o preço de distribuidor e PIS/COFINS sobre o preço de varejo, além de outros impostos como ICMS e ICMS-ST.”

Ainda de acordo com o executivo, os outros 15,5% vão para a margem do varejista e 21,5% para transferência de preço do PS4, equivalente a US$ 390.

“Vamos continuar dialogando com os órgãos governamentais para nos ajudar a reduzir a pesada carga fiscal”, enfatizou Stanley. “Não é de interesse da Sony vender o PS4 com um alto preço de varejo, uma vez que não é bom para os nossos consumidores, e não é bom para a marca PlayStation". Confira abaixo o gráfico que explica, em detalhes, o preço do console no Brasil:

Fabricação no País
No blog, o executivo da Sony também falou sobre o plano de fabricar o console no Brasil, o que reduziria significativamente o preço de varejo. Ele poderia ser produzido na fábrica da Sony em Manaus, mesma em que o PS3 é fabricado. Contudo, o executivo não estipulou qualquer data para esse início. “Estamos fazendo todo o possível para reduzir o preço do PS4", finalizou.

Deixe seu comentário