Em minhas-financas / credito

"Não existe nada sem juros", diz Ilan sobre novas regulações do BC

Banco Central pretende regular startups financeiras sem impedir vantagens ao consumidor  

Ilan Goldfajn
(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

SÃO PAULO – Para Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central brasileiro, fintechs necessitam de espaço para se desenvolver. Por isso, a regulação deste tipo de negócio virá de forma a permitir que pequenas empresas financeiras concorram livremente com conglomerados já estabelecidos.

“De uma forma geral, a gente quer ver deixar as inovações saírem, permitir que elas aconteçam, para depois vir a regulamentação”, disse o economista em entrevista ao Brazil Journal.

Na entrevista, Ilan menciona a consulta pública para regulação de fintechs de crédito, o esforço do BC na redução do custo do débito para o lojista e sobre a substituição do papel moeda pelas transações eletrônicas. Para todas as movimentações, garante, o BC tem procurado agir com calma.

“Nada que a gente está pensando, a gente pensa fazer de uma forma unilateral e nem abrupta”, disse, ao ser questionado sobre a discussão do fim do parcelado sem juros para transações com cartão de crédito.  “A única coisa que a gente faz questão é deixar claro para a sociedade que não existe nada sem juros no país. Porque as vezes dá uma ideia de que tem uma coisa de graça que estamos tirando. Não tem, você paga”.

 

Contato