Em minhas-financas / consumo

Funcionários dos Correios entram em greve nesta segunda-feira

De acordo com a Fentec, a paralisação é por tempo indeterminado

Correios
(Divulgação)

SÃO PAULO - Os funcionários dos Correios vão entrar em greve por período indeterminado a partir desta segunda-feira (12). O motivo, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos Similares (Fentec), é a mudança no plano de saúde dos trabalhadores, que está em julgamento no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Com a mudança, pais, filhos e cônjuges seriam retirados do plano. 

Entre outras reivindicações, os trabalhadores são contra a terceirização na área de tratamento, a privatização da estatal, a suspensão das férias dos trabalhadores, a extinção do diferencial de mercado e e a redução do salário da área administrativa. "Para piorar a situação, a empresa também anunciou o fechamento de mais de 2.500 agências próprias por todo o Brasil", diz o comunicado. "Quanto ao reajuste dos preços dos serviços da estatal, a federação e toda a categoria concorda com a sociedade e discorda e aumentos abusivos nos valores", completa.

Em nota, os Correios informaram que esse movimento "serve apenas para agravar ainda mais a situação delicada pela qual passam os Correios e afeta não apenas a empresa, mas também os próprios empregados".  Ainda de acordo com a estatal, o plano de saúde - principal pauta da paralisação - foi discutido com as representações dos trabalhadores, tanto no âmbito administrativo quanto em mediação no TST.

"A empresa aguarda uma decisão conclusiva por parte daquele tribunal para tomar as medidas necessárias, mas ressalta que já não consegue sustentar as condições do plano, concedidas no auge do monopólio, quando os Correios tinham capacidade financeira para arcar com esses custos", afirma a empresa.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Abra uma conta na XP

Em novo comunicado enviado à imprensa, os Correios afirmam que a paralisação iniciada nesta segunda-feira é parcial e ainda não tem reflexos nos serviços de atendimento dos Correios. "Até o momento todas as agências, inclusive nas regiões que aderiram ao movimento, estão abertas e todos os serviços estão disponíveis". Além disso, segundo levantamento realizado pela estatal, 87,15% do efetivo total dos Correios no Brasil está presente e trabalhando, o que corresponde a 92.212 empregados.

Contato