Em minhas-financas / consumo

Conta de luz poderá variar de acordo com horário de consumo no ano que vem

Neste modelo tarifário, as três horas de maior consumo de energia na região da distribuidora terão preço mais alto

SÃO PAULO – A partir de 2018, a conta de energia elétrica residencial poderá ser calculada a partir do horário de consumo, estabelece a “tarifa branca” divulgada nesta quarta-feira (6) pela Abradee (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica).

Neste modelo tarifário, as três horas de maior consumo de energia na região da distribuidora terão preço mais alto – tais períodos são, no geral, final da tarde e início da noite. 

A migração para a tarifa branca é opcional ao consumidor: a partir do ano que vem, todo o novo consumidor já terá a opção de ser cobrado pela tarifa branca; para os consumidores já conectados à rede, a opção de aderir à tarifa branca será disponibilizada aos poucos. 

Os consumidores que consomem mais de 500 kWh por mês serão os primeiros a poderem migrar para a taria branca; já os que consomem acima de 250 kWh, a opção será disponibilizada a partir de 2019; abaixo dessa faixa, será possível aderir à esse modelo somente a partir de 2020. Vale ressaltar que o consumo médio do brasileiro é de 160 kWh.

A ideia da implantação da tarifa branca é de baratear a conta para o consumidor: o sistema de energia elétrica é mais congestionado nos horários de pico e, por isso, tem custo real mais alto. Aderindo à tarifa branca, o consumidor poderá escolher quando utilizar energia a fim de economizar na conta. 

Os horários de pico variam entre as distribuidoras de energia: de acordo com a Abradee, a Light e a Eletropaulo, por exemplo, têm horário de pico das 17h30 às 20h30.

Energia elétrica
(Shutterstock.com)

Contato