Em minhas-financas / consumo

Amazon começa a vender celulares, TVs e outros eletrônicos no Brasil nesta quarta-feira

Após cinco anos no segmento de livros, a companhia decidiu expandir seu catálogo de produtos

SÃO PAULO – A Amazon lançou nesta quarta-feira (18) a sua plataforma de marketplace para eletrônicos no Brasil. Após cinco anos no segmento de livros, a companhia decidiu expandir seu catálogo, incluindo mais de 110 mil produtos diferentes no segmento de eletroeletrônicos, como notebooks, tablets, celulares, videogames (console e jogos), TVs, acessórios de celular etc.

Podem vender no marketplace tanto pessoas físicas quanto jurídicas, produtos novos ou usados. O cadastro se dá no próprio site e é analisado por uma equipe que avalia o cumprimento das normas e condições. O destaque dos produtos, por sua vez, é determinado pelo cliente final, uma vez que o sistema está baseado na experiência do consumidor, ou seja, nas avaliações das transações. 

“A Amazon tem uma cultura muito ‘customercentric’, ou seja, muito focada no cliente e para nós, abrir esse marketplace de eletrônicos significa ter certeza que temos os melhores vendedores, como também uma cauda longa dos itens mais vendidos no Brasil e itens mais difíceis de serem achados”, disse Alex Szapiro, Country Manager da Amazon.com.br, em entrevista ao InfoMoney.

Lançado em 2012 no Brasil, a Amazon.com.br começou com a venda de 13 mil eBooks em português, número que subiu para 350 mil, entre livros físicos e digitais em português, e para um catálogo que ultrapassa os 13 milhões de livros. “Aprendemos muito com os livros e esse sucesso nos permite hoje fazer o lançamento de marketplace para eletrônicos. Estamos trazendo uma maneira simplificada e tecnologia de 17 anos de aprendizado com a Amazon nos Estados Unidos, Europa e Ásia, para ajudar tanto o vendedor quanto o cliente”, afirma o executivo.

Em comemoração ao lançamento, vendedores listados no marketplace darão descontos em produtos selecionados e, entre os dias 18 e 25 de outubro, quem adquirir um produto poderá escolher um entre 40 eBooks gratuitos.

Segundo Szapiro, a plataforma de marketplace para eletrônicos conta com uma série de tecnologias para beneficiar tanto o consumidor quanto o vendedor. Dentre elas, o preço dinâmico, em que o vendedor pode decidir regras de preço, ou seja, quando encontrar um concorrente, pode optar por oferecer um desconto por determinado tempo para se destacar entre os demais. “Se o vendedor tiver um bom preço, uma boa oferta, uma boa avaliação de clientes e um bom preço do produto mais preço do frete, a chance que ele tem de ganhar o buybox (a oferta principal) é muito grande”.

Outra possibilidade é a configuração de envio por região, que permite o ajuste de fretes distintos por localidade de cliente. “É possível usar da tecnologia para melhorar a oferta de quem está mais próximo de você e ao mesmo tempo, poder ganhar mais dinheiro”, explicou. O fee (taxa cobrada), por sua vez, será simplificado: 10% para tudo o que for vendido na plataforma, não importando o financiamento escolhido pelo cliente final. Além disso, uma vez cadastrados no marketplace da Amazon, os vendedores podem vender em outros países, como EUA, México e Canadá, alterando apenas a listagem de produtos.

Para oferecer maior segurança aos consumidores, Alex reforça que mesmo que o cliente compre de terceiros, ele está comprando pela Amazon, o que significa que a empresa é a responsável por toda a transação e problemas poderão ser resolvidos pelo próprio site, com a Garantia de A a Z.

Questionado a respeito do cenário de e-commerce brasileiro, Alex Szapiro afirma que está otimista, apesar de não olhar muito para o cenário macro e microeconômico: “Olhamos as questões que podemos resolver para o consumidor brasileiro, em relação ao catálogo, oferta, conveniência. Para nós, a Amazon tem uma visão muito de longo prazo. E quando olhamos o longo prazo, essa questão de volatilidade basicamente deixa de existir. Sem dúvida o Brasil é um país muito importante, acho que nossa história de livros ilustra isso de uma maneira muito clara”

Alex Szapiro - CEO Amazon Brasil
(Julio Vilela)

Contato