Em minhas-financas / consumo

Nova regra para emissão de boletos pode fazer consumidores pagarem mais; entenda

O CEO para América Latina da SafetyPay, empresa de pagamentos, comenta como o uso dos boletos pode impactar os negócios e seus clientes

SÃO PAULO – A partir de janeiro de 2017 começa a valer a nova regra da Febraban (Federação Nacional de Bancos) sobre a emissão de boletos de pagamento, que agora deverão ser registrados para poderem ser emitidos.

Isso significa que, para emitir boletos, as empresas deverão pagar taxas ao banco responsável pela emissão – para emitir o boleto, para a reemitir o título, para a liquidação e até em casos de inadimplência do pagamento. Um único boleto pode fazer com que as empresas paguem tarifas altas para os bancos, principalmente por encontrarem dificuldades em negociar essas taxas.

Para os consumidores, ao mesmo tempo em que a medida garante maior segurança e evite fraudes, a mudança pode não ser tão vantajosa: de acordo com Luiz Sacco, CEO da SafetyPay para a América Latina, os pequenos e-commerces e lojas online que permitem o pagamento em boleto podem repassar esse custo de emissão do boleto aos consumidores, que pagarão mais pela compra.

“As alternativas de pagamento online hoje variam principalmente entre cartão de crédito e boleto, o que vai restringir um pouco as compras online, já que os clientes que não possuem crédito provavelmente pagarão mais em pagamentos com boleto”, explicou. 

Hoje, com o avanço das tecnologias de pagamento, o boleto ficou ultrapassado, principalmente por não garantir a instantaneidade que outros meios oferecem. Segundo Luiz, a nova regra da Febraban também reflete uma mudança no comportamento do consumidor exatamente por conta das tecnologias que tornam isso mais fácil.

“Existem pontos positivos nessa mudança, como a facilidade de reemitir boletos e a possibilidade de pagar um boleto vencido em banco diferente, além da questão de tornar o processo mais seguro”, disse, mas também ressaltando o quanto pode ser difícil para as empresas lidar com as taxas altas.

Na Black Friday
Tanto para as empresas quanto para os consumidores, um bom exemplo de quando o pagamento através de boleto pode não ser tão eficiente é durante a Black Friday. Levando em conta que o pagamento do boleto é confirmado em até dois ou três dias, a loja se prejudica com a retenção do estoque até que o pagamento seja finalizado e o consumidor, por sua vez, com a possibilidade de perder o produto por conta da demora na confirmação do pagamento.

“Esse é um momento interessante para as lojas encontrarem alternativas de pagamento que sejam mais inclusivas e garantam a instantaneidade no pagamento”, explicou Luiz.

casal - finanças - contas - dívidas
(Shutterstock)

Contato