Em minhas-financas / consumo

Em 6 anos, 5G terá 150 milhões de assinaturas e permitirá Internet das Coisas

O relatório mostra que daqui seis anos quatro em cada cinco celulares serão smartphones na América Latina

SÃO PAULO – A Coreia do Sul, Japão, China e Estados Unidos serão os países pioneiros da rede 5G de internet, além de serem os que captarão mais assinantes, apontou o novo Relatório de Mobilidade, feito pela Ericsson. A previsão é de que, até 2021, sejam mais de 150 milhões de assinaturas móveis em todo o mundo.

“O 5G é mais do que um serviço móvel mais rápido. Ele vai permitir novos casos de uso relacionados à Internet das Coisas”, disse Márcia Goraieb, vice-presidente de Marketing e Comunicação da Ericsson para a América Latina. “A transformação das TIC vai se tornar cada vez mais comum entre as diferentes indústrias, uma vez que o 5G permitirá que essa visão se torne realidade nos próximos anos”.

Além disso, o relatório também aponta um aumento considerável no consumo de vídeo nos dispositivos móveis, principalmente na América do Norte e na Europa, onde o consumo deve crescer quase seis vezes até 2021. Na América Latina, a previsão é de que ocorra um aumento de 1,2 paga 6 GB no mesmo período.

Um dos motivos para o crescimento do tráfego de dados é o aumento global em assinaturas móveis. Estima-se que, em 2016, existam mais de quatro bilhões de assinaturas de smartphone.

Outra tendência apresentada no relatório é que os consumidores latinos vão mudar da conexão Wi-Fi para a banda larga móvel e vice-versa. Cerca de 54% dos consumidores mudam para melhorar a velocidade ou confiabilidade de cobertura, sendo somente a minoria, de 24%, que interrompe o uso por conta do custo.

Por fim, o relatório mostra que daqui seis anos quatro em cada cinco celulares serão smartphones na América Latina. No final deste ano, apenas 50% dos aparelhos serão smartphones – superando o número de telefones fixos. Em 2021, os 50% devem subir para quase 80%.

mulheres falando no celular
(Olivia Harris/Reuters)

Contato