Em minhas-financas / carros

Além do combustível: quanto custa ter um carro no Brasil

Gasolina não é o único gasto com que o brasileiro tem que se preocupar

Buzina de carro
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Desde a segunda-feira da semana passada, uma greve dos caminhoneiros chama a atenção para o descontentamento com o preço do diesel, o que criou enorme crise de abastecimento. Como resultado, boa parte das cidades brasileiras segue sem gasolina nos postos - o que gerou alguns aumentos absurdos nos preços e fiscalização intensa do Procon

O que o brasileiro tende a ignorar, todavia, é que a gasolina não é o único item que suga o orçamento quando se opta por ter um carro. Com a ajuda da planejadora financeira Annalisa Blando Dal Zotto e outros especialistas, o InfoMoney montou algumas tabelas para ajudar a calcular o verdadeiro custo de ter e manter um carro no Brasil. 

A princípio, considere os seguintes valores para a compra: 

 
Custo de compra do carro R$ 50.000
Valor pago à vista R$ 25.000
Valor financiado R$ 25.000
Taxa efetiva de juros do financiamento ao mês* 1,65%
Prazo do financiamento (em meses) 60
Alíquota de IPVA no seu Estado para seu carro 4,00%
CDI 6,5%

*Valor médio aproximado dos maiores bancos de acordo com tabela atualizada do Banco Central

Um carro como esse vai gerar algumas despesas que independem do valor pago pelo automóvel. São as seguintes:

Custos que independem do valor do carro (ao ano/ao mês)
Combustível R$ 5.250/ R$ 437,50
Multas R$ 20 / R$ 240
Manutenção / revisão / pequenos reparos R$ 1.000 / R$ 83,33
Estacionamento R$ 2.520 / R$ 210**
Lavagem R$ 180 / R$ 40
Depreciação R$ 5.000 / R$ 416
Total R$ 14.190 / R$ 1.182

** Segundo pesquisa do Cuponation

Considerando o período em que se paga a parcela, portanto, o carro neste valor custa ao proprietário aproximadamente R$ 1.180 mais o valor da parcela (R$ 659) todos os meses: R$ 1.839. Anualmente, é necessário pagar também o IPVA, de R$ 2.000 para o veículo em questão. O valor total ao ano fica em R$ 16.190 mais 12 parcelas (R$ 7.908), ou R$ 24.098.

Para completar, considerando o CDI de 6,5% ao ano, é justo imaginar que o dinheiro gasto à vista na entrada do carro (neste caso, R$ 25.000) estaria rendendo, anualmente R$ 1.625 em uma aplicação que remunere 100% do CDI. Consultando a plataforma da XP Investimentos nesta terça-feira, o InfoMoney encontrou aplicações sem liquidez pagando até 122% do CDI (ou 7,93% ao ano), o que garante rentabilidade de R$1.982,50 para quem aplicou R$ 25.000. 

Em outras palavras, além de gastar R$ 24.190 ao ano, o proprietário do veículo no exemplo descrito deixa de ganhar quase R$ 2.000 com uma aplicação totalmente conservadora atrelada ao CDI. 

Mudou de ideia e vai investir em vez de comprar um carro? Abra uma conta na XP.

Contato