Por logo_bloomberg Em minhas-financas / carros  13 mai, 2016 09h17

BMW lançará carro elétrico em 2021 para enfrentar concorrência

Com a Tesla planejando entrar no mercado de carros de luxo no ano que vem com o Model 3, a BMW está trazendo o iNext

Por logo_bloomberg Em minhas-financas / carros  13 mai, 2016 09h17

(SÃO PAULO) -- A resposta da BMW ao desafio da Tesla Motors ficará pronta em 2021, anos depois de a Audi e a Mercedes Benz concretizarem o plano de terem seus próprios veículos elétricos de longo alcance.

Com a Tesla planejando entrar no mercado de carros de luxo no ano que vem com o Model 3, a BMW está trazendo o iNext, que irá substituir o sedã Série 7 como modelo top da marca. O veículo chegará oito anos após a introdução do elétrico i3 em 2013.

O iNext será “nosso propulsor de inovação, com direção autônoma, conectividade digital, design leve inteligente e interior totalmente novo e finalmente levará a próxima geração de eletromobilidade para as ruas”, disse o CEO Harald Krüger, na reunião anual de acionistas da IBM em Munique na quinta-feira.

O novo carro é a peça central do esforço da BMW para defender sua posição no mercado de carros de luxo em um momento em que a mudança no gosto dos consumidores desafia o foco da fabricante alemã nas emoções das rodovias rápidas. A BMW está realizando uma mudança de estratégia sob pressão da Tesla e de rivais tradicionais como a Mercedes-Benz, da Daimler, assim como dos riscos representados pela Apple.

No caminho certo

A BMW deverá perder o primeiro lugar em vendas globais de carros de luxo neste ano pela primeira vez desde 2005. A Mercedes, que tira proveito de uma linha de produtos rejuvenescida e de uma série de modelos totalmente novos, assumiu a liderança durante o primeiro trimestre, quando suas receitas subiram mais de duas vezes mais rapidamente que as da BMW.

A batalha pela permanência na liderança contribuiu para reduções de preços para atrair compradores para carros relativamente mais antigos da BMW. O preço médio dos veículos da BMW caiu 5,9 por cento, para cerca de 33.700 euros (US$ 38.500), no primeiro trimestre, quando a demanda por carros mais baratos, como o hatchback X1, superaram as vendas do sedã Série 7 reformulado, segundo cálculos da Bloomberg. Contudo, a BMW disse que está a caminho de cumprir as metas de 2016 de entregar pequenos aumentos dos lucros antes de impostos e das vendas de carros pelo sétimo ano recorde seguido, disse Krüger.

“Após nosso primeiro trimestre, estamos no caminho certo para o ano todo”, disse Krüger, que está no comando da empresa centenária há um ano. “Sempre salientamos que nosso centenário é um trampolim para o futuro”.

BMW - Bloomberg
(Bloomberg)

Contato