Em mercados / politica

Após quatro horas, MTST e Povo Sem Medo desocupam triplex atribuído a Lula no Guarujá

A desocupação aconteceu após negociação com a Polícia Militar

Triplex no Guarujá
(Reprodução/Facebook/MTST)

SÃO PAULO - Após quatro horas de ocupação, os cerca de 50 manifestantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e da Frente Povo Sem Medo, que ocuparam o triplex atribuído ao ex-presidente Lula, em Guarujá, no litoral de São Paulo deixaram o prédio. A desocupação aconteceu após negociação com a Polícia Militar. 

Além da ocupação, havia ainda um grupo de 70 apoiadores em frente ao triplex, com faixas dizendo "Se é do Lula, é nosso", "Se não é, por que prendeu?" e "Povo sem Medo".“É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula a prisão. Se o triplex é dele, então o povo está autorizado a ficar lá. Se não é, precisam explicar porque ele está preso”, disse o pré-candidato à Presidência do PSOL, Guilherme Boulos, que também participou do ato, nas redes sociais. A pré-candidata Manuela D'Ávila (PCdoB) também manifestou-se a favor do ato em sua conta no Twitter, assim como o senador Lindbergh Farias (PT).

Os representantes das polícias Civil, Militar, além de advogados dos manifestantes realizaram uma vistoria prévia no condomínio e apartamento para verificar se há indícios de depredação ou arrombamentos e aguardam a perícia da Polícia Federal.

De acordo com informações da Polícia Militar, os manifestantes quebraram o portão do estacionamento e pularam as grades para forçar a entrada no Edifício Solaris. Como ocorreram danos ao prédio, será registrado um boletim de ocorrência na Delegacia da cidade. 

 

 

Contato