Em mercados / politica

Temer diz que vive "processo kafkiano" e sugere propor adoção do parlamentarismo em 2018

Ele voltou a dizer que a denúncia contra ele não tem um "motivo sólido" e que se trata de um processo que "ninguém sabe bem o porquê"

SÃO PAULO - O presidente Michel Temer sugeriu nesta quinta-feira (3) que poderá propor a adoção do parlamentarismo no Brasil no próximo ano. Segundo ele, apesar de ser uma tarefa do Congresso, o governo pensa seriamente em apresentar uma proposta de revisão do sistema político eleitoral.

O peemedebista disse, em entrevista à rádio Bandnews, que dentro desta reforma poderia estar a adoção do parlamentarismo. "Acho que não seria despropositado", disse ele que ainda ressaltou que tem ouvido em conversas a possibilidade de se levar adiante uma proposta que abranja fixação de cláusula de barreira e eliminação de coligações. "Isso está no nosso horizonte", disse o presidente.

Durante a conversa, Temer afirmou ainda que tem vivido um "processo kafkiano" e ressaltou que têm derrotado todos aqueles que querem afastá-lo do comando do Palácio do Planalto. Ele voltou a dizer que a denúncia contra ele não tem um "motivo sólido" e que se trata de um processo que "ninguém sabe bem o porquê" ou "por que prosseguiu".

"Eu vou ser um pouco talvez piegas, mas parece uma coisa kafkiana. Começa com um processo para retirar o presidente sem um motivo sólido. Sabe a história da gravação feita por um cidadão que havia confessado milhares de crimes? Foi muito bem urdida e articulada", disse.

Michel Temer
(Reprodução)

Contato