Por Mário Braga Em mercados / politica  11 jan, 2017 15h37

"Temer, Serra, Moro querem ser presidentes? Ótimo. Podem se candidatar", diz Lula sobre eleições diretas

O ex-presidente Lula atacou os adversários e voltou a afirmar que é vítima de perseguição política

Por Mário Braga Em mercados / politica  11 jan, 2017 15h37

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou do 29º encontro estadual do MST (Movimento dos Trabalhadores sem Terra) na Bahia e voltou a defender a convocação de eleições diretas e a classificar o impeachment de Dilma Rousseff como "golpe". Ele reafirmou ainda que é vítima de uma perseguição jurídica e que seus acusadores ainda terão que lhe pedir desculpas.

Discursando a uma plateia de agricultores, o petista defendeu que é importante não se ter vergonha ser favorável a eleições diretas atualmente e alfinetou adversários políticos. "O (Michel) Temer (PMDB) quer ser presidente? O (José) Serra (PSDB) quer ser presidente? O (juiz Sérgio) Moro quer ser presidente? Ótimo. Todo mundo que quer ser presidente tem o direito de se candidatar. O que não pode é querer ser presidente dando um Golpe, na base da canetada", afirmou.

Lula criticou ainda as medidas econômicas adotadas pelo presidente Michel Temer e disse que a solução para a atual situação da economia "não passa por penalizar as classes mais pobres, mas incluí-las no Orçamento". O ex-presidente reafirmou ainda também que é vítima de uma perseguição jurídica. "Eu achei que tinha encerrado minha carreira política. Mas diante dessas acusações, na hora que ficar claro que não há nada contra mim, só quero que peçam desculpas. Eu aprendi a andar de cabeça erguida nesse país e não vou baixar a cabeça para ninguém", disse o ex-presidente.

Assista aqui à íntegra do discurso do petista em evento na Bahia.

Lula
(Roberto Parizotti / Cut)

Contato