Em mercados / politica

8 blefes, 1 exagero e 3 frases mal explicadas de João Doria

Veja todas as checagens que a Agência Pública fez das falas do prefeito eleito em São Paulo

* Truco Eleições 2016: reportagem originalmente publicada pela Agência Pública

A eleição para prefeito em São Paulo terminou com a vitória de João Doria (PSDB) no primeiro turno. Das 97 frases que a equipe do Truco Eleições 2016 – projeto de fact-checking da Agência Pública – verificou na capital paulista, 12 foram ditas pelo tucano em entrevistas, no horário eleitoral ou durante debates. O político somou oito cartas do tipo “Blefe” (afirmação falsa), uma “Não é bem assim” (dado exagerado) e três “Tá certo, mas peraí” (sem contexto). Leia, abaixo, todas as checagens que fizemos do prefeito eleito, sobre crise econômica, educação, finanças, política, população de rua, saúde e trânsito.

CRISE ECONÔMICA

BLEFE "O número de pessoas desempregadas [em São Paulo] cresce a cada dia” – João Doria (PSDB), no programa eleitoral do dia 1º de setembro

Apesar de a crise econômica ser grave, São Paulo não tem registrado aumento no número de desempregados. Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o índice na verdade caiu do primeiro trimestre do ano para o segundo: de 10,8%, foi para 10,6%.

***

EDUCAÇÃO

BLEFE “Hoje nós temos mais de 170 mil crianças fora das creches na capital de São Paulo" – João Doria (PSDB), em entrevista à Rádio Estadão, no dia 2 de agosto

Doria errou o número de crianças fora das creches durante uma entrevista à Rádio Estadão. Em vez de 170 mil, os dados mais atualizados da Prefeitura mostravam uma demanda de 103.496 vagas. Quando mencionou o número novamente em debates, Doria passou a usar o dado correto.

ta certo “É surpreendente como na principal cidade do país ainda há milhares de analfabetos: crianças, adolescentes e adultos" – João Doria (PSDB), durante o debate promovido pela TV Gazeta, Estadão e Twitter em 18 de setembro

A frase é correta, mas faltou contexto. Há, sim, milhares de analfabetos em São Paulo. De acordo com o Censo de 2010, havia 283.472 pessoas que não sabiam ler e escrever na cidade com mais de 15 anos. O problema é que Doria falou em crianças analfabetas e não existem dados sobre esse grupo.

***

FINANÇAS

ta certo "A conta de luz é coberta mensalmente por uma taxa, a Cosip. A gestão Haddad aumentou essa taxa em 120%” – João Doria (PSDB), durante debate promovido pelo SBT, Folha de S.Paulo e UOL em 23 de setembro

O aumento de 121% da Contribuição para Custeio da Iluminação Pública (Cosip) ocorreu na gestão Haddad. Mas o que Doria omitiu foi que esses aumentos estão definidos em lei municipal, de 2002. A norma determina que seja usado o mesmo índice de correção da tarifa de energia elétrica.

BLEFE "[A Prefeitura] não designa orçamento para as subprefeituras” – João Doria (PSDB), no debate da TV Record e R7, no dia 25 de setembro

A Prefeitura de São Paulo destina, sim, verba para as subprefeituras. Este ano, o total foi de R$ 1,1 bilhão do orçamento de R$ 54 bilhões. É possível até mesmo consultar quais foram os gastos de cada subprefeitura. A Subprefeitura da Sé, que recebe o maior repasse, por exemplo, tem R$ 75 milhões para gastar este ano em obras de urbanização e manutenção na região, além de custear a administração da unidade.

***

POLÍTICA

ta certo "Em relação a minha casa de Campos do Jordão, que eu paguei com o meu dinheiro, construindo a casa, a demanda é de um terreno de 365 metros e 40 centímetros, no valor de R$ 18.250. Eu atendo e sou obediente à lei. Já mandei devolver este terreno” – João Doria (PSDB), durante debate promovido pelo SBT, Folha de S.Paulo e UOL em 23 de setembro

Doria realmente mandou devolver um terreno que havia invadido em Campos do Jordão, mas isso só veio a acontecer depois que o caso tornou-se público na campanha. Desde 2009 o tucano brigava pela área na Justiça, recorrendo de decisões que o condenaram a desocupar o terreno. No dia 21 de setembro, ele foi questionado em entrevista ao telejornal SPTV, da Globo. Um dia depois, uma juíza determinou novamente a reintegração de posse e ele impediu seus advogados de apelarem.

***

POPULAÇÃO DE RUA

nao e bem assim"Cem moradores de rua, Erundina, morreram nas ruas, debaixo de marquises, nas calçadas em São Paulo, de março até agora” – João Doria (PSDB), no debate da RedeTV!, no dia 2 de setembro

Dessa vez Doria exagerou nos dados. Segundo o Instituto Médico Legal (IML), ocorreram 100 mortes de pessoas desconhecidas na capital paulista, entre janeiro e 15 de junho de 2016. Mas não é possível dizer que todos eram moradores de rua, porque o IML não faz essa verificação. Logo, o número de mortos que se encaixam nessa classificação pode ser bem menor do que os 100 registrados.

***

SAÚDE

BLEFE “O PT conseguiu criar a bolsa crack, a incompetência foi tão grande nesse programa que além de aumentar o número de psicodependentes, criou o bolsa crack, aumentou o preço da pedra de crack”  – João Doria (PSDB), em visita ao Hospital do Campo Limpo, no dia 24 de agosto, segundo o G1 

Doria errou ao apontar aumento tanto no número de usuários de crack como no preço da droga após a criação do programa De Braços Abertos, da Prefeitura de São Paulo. Nenhuma das duas coisas aconteceu. Um levantamento feito pela Prefeitura mostrou inclusive que a quantidade de dependentes caiu

BLEFE "Há um ano, já tínhamos uma Cracolândia. Agora temos seis Cracolândias espalhadas pela cidade” – João Doria (PSDB), no debate da Rede Globo, no dia 29 de setembro

A quantidade de Cracolândias em São Paulo é bem maior do que afirmou Doria. Um mapeamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde entre novembro de 2013 e janeiro de 2014 mostra que havia 30 pontos de uso frequente de crack na cidade. Isso foi confirmado posteriormente em reportagens da Folha de S.Paulo e da Veja.

BLEFE "Você [Marta Suplicy] não construiu nenhuma UBS em quatro anos”  –João Doria (PSDB), no debate da RedeTV!, no dia 2 de setembro

A mesma acusação foi feita por Doria no programa eleitoral e rendeu um direito de resposta de Marta. Quando prefeita, a candidata fez 59 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Logo, a informação veiculada pelo tucano era falsa. A candidata chegou a apresentar documentos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que comprovavam a construção de 57 equipamentos entre 2001 e 2004.

BLEFE "[Vamos] integrar a saúde do município com a saúde do estado, que surpreendentemente a integração não existe” – João Doria (PSDB), no debate da Rede Globo, no dia 29 de setembro

Os sistemas de agendamento das redes municipal e estadual estão integrados desde 2003. O estado disponibiliza algumas vagas de procedimentos especializados para o sistema da Prefeitura, que pode acomodar os pacientes. Depois, o tratamento pode continuar na rede municipal.

***

TRÂNSITO

BLEFE “A principal causa de acidentes na capital de São Paulo não é o excesso de velocidade. É o excesso de uso do celular” – João Doria (PSDB), no programa do horário eleitoral do dia 21 de setembro 

Doria errou de novo. Os celulares não são maior causa de acidentes em São Paulo. Não há dados que mostrem que isso ocorreu na cidade. Só 19 países fizeram esse tipo de análise, mas os resultados não podem ser aplicados aqui. Uma estimativa da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) colocou os aparelhos como a quarta causa dos acidentes no país.

***

TRUCO

truco“Quando falta gestão, a verba, que é grande, fica pequena. Até em São Paulo, cidade com maior orçamento de saúde do Brasil” – João Doria (PSDB), no programa eleitoral de 15 de setembro

“Com o Corujão da Saúde, vamos contratar o horário noturno dos hospitais particulares, para atender quem está há meses esperando na fila para exames. Dá para fazer, porque das 8h da noite às 8h da manhã, os equipamentos desses hospitais estão disponíveis” – João Doria (PSDB), no programa eleitoral do dia 5 de setembro

“A saúde de São Paulo precisa sair da UTI. O primeiro passo: resolver o problema da falta de médicos. Vamos contratar 800 médicos imediatamente. Com médico para todos, vamos garantir melhores salários e atendimento” – João Doria (PSDB), no programa eleitoral do dia 2 de setembro

Desafiamos o tucano a explicar as propostas para a saúde exibidas no seu programa eleitoral, como o polêmico Corujão da Saúde – que vai alugar horários em hospitais privados para aumentar o ritmo de exames – e a ideia de contratar 800 médicos. Ele respondeu a quatro perguntas.

(Maurício Moraes · Patrícia Figueiredo · Anna Beatriz Anjos · Étore Medeiros)

João Doria
(Rovena Rosa / Agência Brasil (03/10/2016))

Contato