Em mercados

Mercado reduz projeções para PIB e inflação em 2018, mostra BC

Apostas para Selic, por sua vez, continuam em 6,25% para este ano e 8% para o próximo

Banco Central
(REUTERS/Ueslei Marcelino)

SÃO PAULO - Os economistas consultados semanalmente pelo Banco Central reduziram levemente suas projeções para o crescimento da economia e o desempenho da inflação neste ano. Conforme mostra a mais recente edição do Relatório Focus, divulgada nesta segunda-feira (9), a mediana das estimativas para o PIB (Produto Interno Bruto) recuou de crescimento de 2,84%, na semana anterior, para 2,80% nesta. Para 2019, as projeções seguiram em 3%.

Do lado do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a mediana das estimativas foi de 3,54% para 3,53% para 2018, enquanto para o ano seguinte as projeções oscilaram de 4,08% para 4,09%. As expectativas para a taxa básica de juros é a mesma da semana passada: 6,25% ao final de 2018 e 8% ao final do ano seguinte. Pelo câmbio, o patamar de R$ 3,30 foi mantido neste ano, ao passo que em 2019 houve recuo de R$ 0,01, para R$ 3,39.

Entre os cinco economistas que mais acertam em suas projeções -- o chamado "top 5" --, as projeções são as mesmas de uma semana atrás. No cenário de curto prazo, a mediana das estimativas para o IPCA é de 3,46% neste ano e 4,24% no próximo. Para a Selic, as apostas são de 6,25% e 8%, respectivamente. Já o dólar ficou em R$ 3,40 nos dois períodos.

No cenário de médio prazo, a mediana das estimativas para a inflação oficial é de 3,41% neste ano e 3,70% no seguinte. Do lado da Selic, de 6,25% e 8%, respectivamente, enquanto do dólar é de R$ 3,34 e R$ 3,42, nesta ordem.

Contato