Em mercados

Empresas europeias competem por tesouro petroleiro do México

O México está tentando atrair a maior quantidade possível de investimentos em petróleo antes de o presidente que reformou o setor de energia do país, Enrique Peña Nieto, ser substituído em dezembro

Cavalos de petróleo na Rússia Bloomberg
(Bloomberg)

(Bloomberg) -- As principais empresas de petróleo europeias estão chegando em massa às águas rasas do Golfo do México em um momento em que o país corre para atrair investimentos antes da eleição presidencial.

A gigante anglo-holandesa Royal Dutch Shell, a britânica BP, a francesa Total, a italiana Eni, a espanhola Repsol, a russa Lukoil e a alemã DEA Deutsche Erdöl ganharam blocos -- vários em parceria com a estatal Petróleos Mexicanos. Entre as ausentes mais notórias estavam as grandes petroleiras americanas como a Exxon Mobil e a Chevron, que ficaram com a prospecção em águas profundas em uma rodada anterior.

O México está tentando atrair a maior quantidade possível de investimentos em petróleo antes de o presidente que reformou o setor de energia do país, Enrique Peña Nieto, ser substituído em dezembro. O país já concedeu mais de 100 contratos de desenvolvimento de petróleo desde as reformas no setor de energia em 2013, que acabaram com o monopólio da Pemex.

“Foi um leilão bem-sucedido porque foi possível conceder blocos em diversas bacias”, disse Pablo Medina, vice-presidente da Welligence, consultoria de petróleo em Houston, nos EUA, com foco na América Latina. “Apesar da grande concorrência no Sul, a metade dos blocos concedidos fica em outras regiões.”

Quer comprar ações e ainda pagar a menor corretagem do Brasil? Clique aqui e abra sua conta na Clear

 

Blocos

A comissão nacional de hidrocarbonetos do México concedeu 16 contratos de produção compartilhada no leilão de terça-feira. Eles abrangem recursos prospectivos estimados no equivalente a 513 milhões de barris de petróleo bruto, segundo a Secretaria de Energia.

Oito blocos na bacia sudeste, que se estende pelos litorais dos estados de Veracruz, Tabasco e Campeche e é rica em petróleo, foram concedidos a grupos que incluíam Shell, Eni, Lukoil, Pemex, Total, DEA Deutsche, Pan American Energy, Premier Oil e a Sapura Energy, da Malásia.

Na bacia de Burgos, rica em petróleo, em frente ao porto de Tampico, dois blocos foram concedidos à Repsol e outros dois à Premier Oil. Um grupo formado pela Pemex, DEA Deutsche e Compañía Española de Petróleos (Cepsa) ganhou dois blocos que fazem parte da bacia de Tampico-Misantla e Veracruz, no litoral do estado de Veracruz. A Pemex e a Cepsa ganharam, juntas, dois blocos na área.

Eleição

Os próximos leilões serão realizados antes do fim do mandato de Peña Nieto, em eventos que ocorrerão antes da eleição de 1º de julho, que poderia dar a vitória ao candidato opositor de esquerda Andrés Manuel López Obrador. O veemente candidato presidencial, favorito na eleição, disse que suspenderá a realização de leilões de petróleo se for eleito.

“Não é possível rescindir os contratos” que já foram concedidos se não houver circunstâncias extraordinárias, disse Juan Carlos Zepeda, diretor da comissão de hidrocarbonetos do México, durante a rodada de ofertas na Cidade do México.

Os resultados “demonstram que mesmo quando existe uma concorrência acirrada pelo capital no nível regional, o setor confia na atratividade do México como destino de investimentos”, disse Medina, da Welligence.

Contato