Em mercados

O risco das eleições de 2018 é o maior que temos hoje para a economia, afirma Sergio Vale

A recuperação vai durar? O quanto a crise política ofuscará os últimos dados da economia e levará a uma reversão das expectativas? Sergio Vale, da MB Associados, respondeu a essa e outras perguntas no Na Real Na TV

SÃO PAULO - Quando a crise econômica parecia ter dados sinais de seu fim em meio aos últimos dados do PIB, além de números sobre o comércio e serviços, a delação da JBS acabou por elevar novamente as incertezas do mercado e gerar grande ceticismo. Afinal, a recuperação vai durar? O quanto a crise política ofuscará os últimos dados da economia e levará a uma reversão das expectativas? Para falar sobre e outros assuntos em voga na economia, o Na Real na TV entrevistou o economista-chefe da MB Associados, Sergio Vale, que traçou um cenário para a economia após a eclosão da maior crise política do governo Temer no dia 17 de maio e que perdura até hoje. 

Além disso, o economista apontou que o "risco das eleições de 2018 é o maior que temos hoje para a economia", em um cenário em que muitos candidatos com um discurso contra as reformas econômicas podem registrar um bom desempenho no pleito. "Eles podem até não ganhar, mas vão assustar o mercado". 

 Para Vale, 2018 deve lembrar 2002, com a eleição de Lula que deixou os mercados nervosos, sendo que eles só se acalmaram com os sinais de que o petista adotaria uma agenda mais ortodoxa. Confira a entrevista na íntegra no vídeo acima. 

 

Contato