Em mercados

Petição para o impeachment de Trump atinge mais de um milhão de assinaturas

Marca acontece em um momento de forte crise política nos EUA, em meio à polêmica sobre demissão do diretor do FBI

SÃO PAULO - Mais de um milhão de pessoas assinaram até esta quarta-feira (17) à tarde uma petição online a favor do impeachment do presidente dos EUA Donald Trump

A campanha ‘Impeach Trump Now’, liderada pela organização apartidária Free Speech For People continha, até às 15h35 (hora de Brasília) 1.023.683 assinaturas. 

A iniciativa foi lançada em 20 de janeiro, quando Trump tomou posse. "Desde que assumiu o gabinete, o Presidente Donald Trump tem violado diretamente a Constituição dos Estados Unidos. O Presidente não está acima da lei. Não permitiremos que o Presidente Trump se beneficie da Presidência à custa da nossa democracia", destaca o texto introdutório, que afirma que mais de 950 mil pessoas se juntaram à campanha nos primeiros 110 dias da administração Trump.

E, após a polêmica demissão do diretor do FBI (Agência Federal de Investigação norte-americana) James Comey, a iniciativa ganhou força. Depois da demissão, o jornal The New York Times revelou a existência de documentos elaborados por Comey, a fim de documentar suas conversas com Trump. Em um desses documentos, há o pedido de Trump para que Comey encerrasse uma investigação das ligações da Rússia com seu ex-assessor de Segurança Nacional, o general aposentado Michael Flynn, o que deflagrou a maior crise do atual governo americano. Assim, a Free Speech For People decidiu reforçar a sua iniciativa. 

Após essas revelações, as conversas sobre impeachment passaram a entrar no radar da política americana. Al Green, congressista representante democrata pelo Texas no Congresso dos EUA, pediu na segunda-feira o impeachment do presidente.

Já o deputado republicano Justin Amash, do Michigan, foi o primeiro do partido a dizer que há mérito para o impeachment de Trump se comprovado que ele pediu a Comey para encerrar a investigação federal. Questionado pelo site The Hill se os detalhes envolvendo o memorando que Comey escreveu após reunião com Trump em fevereiro justificariam um impeachment, Amash disse: "Sim". "Mas todos têm direito a um julgamento justo neste país", completou. 

Mesmo em meio a essas notícias, o Citi ponderou: "alguns podem estar se antecipando com os riscos de impeachment, embora o que as últimas manchetes trazem pode significar mais atrasos nas políticas", o que levou a maior aversão ao risco dos mercados nesta sessão.

Donald Trump
(Bloomberg)

Contato