Em mercados

As 5 frases de Trump que podem levar a uma “corrida pelo ouro”

Colunista do portal norte-americano CNBC analisa que fatores levariam a um forte movimento de aversão ao risco.

SÃO PAULO - Entre outros tantos poderes como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump poderá fazer com que os preços do ouro disparem nos próximos meses, dependendo do que disser após assumir a Casa Branca nesta sexta-feira (20). O acirramentos de disputas comerciais com a China, crises geopolíticas ou o incentivo ao protecionismo são pontos críticos, segundo o colunista Nigam Arora, do portal MarketWatch.

Desde a eleição do republicano, em 8 de novembro, a cotação do metal precioso negociado na bolsa de Nova York já avançou 11,9%, em um claro movimento de aversão ao risco, em meio a polêmicas entre o presidente-eleito norte-americano com os chineses, mexicanos e aliados europeus da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Analisando os fundamentos técnicos da cotação do metal, Arora argumenta que “a posição técnica do ouro hoje permite que sua cotação possa facilmente ser pressionada em qualquer direção”.

Dado o histórico de tweets de Trump, o especialista aposta que o republicano não se deixará controlar por assessores ou pelo “peso” da presidência dos EUA e poderá fazer declarações polêmicas e desestabilizadoras, que facilmente levariam os investidores a buscar refúgio em uma das aplicações mais seguras conhecidas: o ouro.

Eis as 5 frases de Trump que poderiam levar a uma "corrida pelo ouro":

1. Declarar a China um manipulador cambial;

2. Declarar a intenção de abandonar a política diplomática de “uma China única” - segundo a qual, desde 1979, os Estados Unidos não reconhecem a ilha dissidente de Taiwan como um país independente, mas como parte de uma “China única”, governada por Pequim;

3. Declarar as ilhas artificias construídas pelos chineses no Mar do Sul da China como ilegais;

4. Encorajar que países membros da União Europeia abandonem o bloco;

5. Apoiar um acordo de comércio dos Estados Unidos com o Reino Unido - o que poderia levar a um “hard Brexit”, uma saída mais brusca dos britânicos do bloco europeu.

Barras de ouro
(Shutterstock)

Contato