Por Mário Braga Em mercados  11 jan, 2017 10h10 - Atualizada em 17h20

Você compra estes 10 itens? Saiba que eles foram maiores responsáveis pela inflação em 2016

Levantamento do InfoMoney mostra os dez subitens que mais pesaram para o IPCA no ano passado - e quais foram as principais contribuições de baixa

Por Mário Braga Em mercados  11 jan, 2017 17h20

SÃO PAULO - Plano de saúde, empregado doméstico e refeição fora de casa foram os principais “vilões” da inflação em 2016. Dos 373 subitens que compõem o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), estes três componentes isolados responderam por mais de 1 ponto porcentual da alta de 6,29% registrada em 2016. 

A lista das dez maiores pressões inflacionárias no ano passado tem ainda taxa de água e esgoto, tarifa de ônibus urbano, lanche fora de casa, aluguel residencial, cigarro, mão-de-obra de construção e condomínio. Levantamento do InfoMoney mostra que, juntos, os dez subitens que mais pesaram para a alta de preços respondem por 40% da inflação do ano passado.

Subitem Variação em 2016 Peso no IPCA
Plano de saúde 13,55% 0,449 p.p.
Empregado doméstico 10,27% 0,411 p.p.
Refeição fora de casa 5,67% 0,292 p.p.
Taxa de água e esgoto 20,05% 0,291 p.p.
Ônibus urbano 9,34% 0,237 p.p.
Lanche fora de casa 10,74% 0,214 p.p.
Aluguel residencial 5,31% 0,213 p.p.
Cigarro 16,04% 0,158 p.p.
Mão-de-obra 8,8% 0,127 p.p.
Condomínio 6,75% 0,111 p.p.
Total   2,50 p.p.

 

Na ponta de baixo da tabela, os subitens que mais aliviaram os preços em 2016 foram energia elétrica residencial, tomate e batata-inglesa. A contribuição acumulada destes três componentes, porém, foi de apenas 0,58 ponto porcentual negativo.

Subitem Variação em 2016 Peso no IPCA
Energia elétrica residencial -10,66% -0,428 p.p.
Tomate -27,82% -0,081 p.p.
Batata-inglesa -29,03% -0,081 p.p.
Cebola -36,5% -0,063 p.p.
Automóvel usado -4,46% -0,048 p.p.
Passagem aérea -4,88% -0,025 p.p.
Hotel -6,25% -0,024 p.p.
Telefone fixo -1,24% -0,013 p.p.
Cenoura -20,47% -0,011 p.p.
Móvel para quarto -2,14% -0,011 p.p.
Total   -0,785 p.p.
Dúvidas, dificuldades financeiras

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Contato