Em mercados

Você sabe de onde veio a ideia do nome Fundo Verde, um dos melhores "hedge funds" do mundo?

No livro "Fora da Curva", Luis Stuhlberger revela as influências da carreira e a paixão que o levaram a batizar seu primeiro fundo como "Verde"

Luis Stuhlberger, do Verde Asset Management
(Folhapress)

SÃO PAULO - Criado por Luis Stuhlberger em 1997 e com um rendimento acumulado superior a 13.300% desde então, o Verde é o fundo multimercados de maior sucesso no País e um dos melhores hedge funds do mundo. A origem da história de sucesso, no entanto, é pouco conhecida e a escolha do nome, no mínimo inusitada. Mas no livro “Fora da Curva”, o engenheiro por formação revela as três razões que o levaram a batizar seu primeiro fundo de “Verde”.

Para quem já leu o Fora da Curva, vale a pena conhecer o projeto InfoMoney Fora da Curva, com uma série de entrevistas com alguns dos participantes do livro. Clique aqui para acessar a página.

Confira os 3 motivos que levaram Stuhlberger a escolher o nome Fundo Verde:

1º: Homenagem às commodities
Quando decidiu criar seu primeiro fundo, o gestor tinha nove anos de carreira. Havia começado na corretora Hedging-Griffo como operador de mercado futuro e de commodities. Não por acaso, parte do patrimônio a ser gerido foi aplicado em contratos de café, que garantiam um retorno interessante à época. Também conhecida por “ouro verde”, a commodity foi a primeira inspiração para Stuhlberger.

2º: Sucesso com o dólar
Outra aposta do gestor para potencializar sua rentabilidade foi o mercado de câmbio. Na época um dólar valia um real e Stuhlberger considerava que a paridade não duraria muito tempo. “Queria acertar o momento de desvalorização e gerar retornos para o fundo fazendo isso”, conta no livro. As “verdinhas”, como são conhecidas as notas do dólar, também influenciaram a escolha do nome do fundo.

3º: Paixão pelo time de coração
Como nem só de mercado financeiro vive um gestor, Stuhlberger se deixou influenciar também por uma de suas grandes paixões fora das mesas de operação. “Sou palmeirense. Na época, o Palmeiras era patrocinado pela Parmalat e era um time fenomenal”, justifica. Juntando os outros dois pontos ao amor pelo escudo alviverde, ele crava: “Verde era o nome perfeito”.

Contato