Em mercados

Ministro grego considera "bastante provável" antecipar eleições para setembro

"As eleições serão muito provavelmente realizadas em setembro ou outubro, dependendo dos desenvolvimentos", declarou Nikos Voutsis à rádio grega Sto Kokkino, citada pela Agência France Presse.

O ministro do Interior grego afirmou hoje (15) ser "bastante provável" que a Grécia seja forçada a antecipar eleições para setembro, após divergências entre deputados do governo sobre o novo plano de resgate financeiro acordado.

"As eleições serão muito provavelmente realizadas em setembro ou outubro, dependendo dos desenvolvimentos", declarou Nikos Voutsis à rádio grega Sto Kokkino, citada pela Agência France Presse.

O Parlamento grego aprovou uma série de medidas exigidas pelos credores como condição para desbloquear um novo plano de resgate aceito pelo primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Mas muitos parlamentares do Syriza, o partido de esquerda que lidera o governo grego, recusaram aprovar os termos do acordo que, segundo a AFP, são considerados humilhantes por muitos gregos.

A proposta foi eventualmente aprovada pelo Parlamento, depois de receber apoio dos partidos conservadores, socialistas e pró-europeus na oposição.

Na segunda-feira (13), Atenas chegou a um acordo com a União Europeia (UE) para um terceiro resgate de até 86 bilhões de euros, garantindo em troca implementar aumentos de impostos, cortes nas reformas e privatizações.

Alexis Tsipras, primeiro-ministro grego desde a vitória do Syriza nas eleições em janeiro, continua com a popularidade em alta entre a sociedade grega.

Analistas citados pela AFP garantem que o governante poderá sair fortalecido após novas eleições, o que lhe permitiria afastar os membros do seu partido mais inconformados e aplicar as reformas acordadas.

União Europeia e Grécia
(Bloomberg)

Contato