Em mercados

Não é o momento para comprar ações de siderúrgicas ainda, avalia Barclays

Ideal é realizar compra perto do ponto de inflexão dos preços; argumento de "forte recuperação" não convence analistas

CSN 04 - Fábrica Siderurgia
(Divulgação CSN)

SÃO PAULO - Impulsionados pela forte valorização das ações das siderúrgicas brasileiras nos últimos pregões, muitos investidores podem ficar tentados a comprar os papéis de CSN (CSNA3) e Usiminas (USIM3; USIM5). Na opinião do Barclays, esse momento ainda não chegou, mas pode chegar.

A percepção do banco britânico é que o melhor momento para comprar os ativos siderúrgicos é quando os preços dos produtos vendidos pela empresa começarem uma trajetória de alta. E isso ainda não começou no setor - embora a Usiminas já tenha anunciado elevações. "Não acreditamos em uma forte recuperação da atividade econômica", avaliam Leonardo Correa, Pedro Grimaldi e Luiz Fornari, da equipe de análise do banco.

Neste momento, as referências são negativas para as empresas: a atividade ba China desacelera, a economia brasileira não consegue ganhar forças, os estoques estão em alta e o cenário competitivo pode corroer as margens das empresas. "Depois dos resultados trimestrais da Usiminas, muitos se perguntam se é a hora de entrar. Mas o mercado ainda está cético quanto à recuperação da economia", afirmam. 

Usiminas fez bem, mas deve continuar pressionada
De acordo com os analistas da Barclays, a direção da Usiminas fez o possível para controlar o que estava a seu alcance. "Reconhecemos os esforços da direção em controlar custos de capital e iniciativas comerciais, mas os ganhos fáceis já praticamente acabaram", destacam os analistas.

São os fatores incontroláveis, porém, que pesam sobre a empresa. "Os preços de produtos siderúrgicos lá fora e a demanda interna continua desfavorável. Continuamos não otimistas com a recuperação e preocupados com a alavancagem da empresa", destacam. Segundo eles, com um cenário desfavorável lá fora, há limite para o que ser feito, sobretudo no cenário atual em que o mercado espera muito dos resultados do próximo trimestre. 

Mercado deve mudar
A CSN também pode chamar a atenção do mercado se resolver adquirir os ativos siderúrgicos da CSA. "Será que eles vão vender as ações que possuem da Usiminas para realizar isso?", afirmam. Caso não seja comprada, a CSA pode se tornar uma nova competidora no segmento de aços planos, assim como a Gerdau (GGBR4).

Enquanto algumas empresas migram para o setor de CSN e Usiminas, elas procuram investir cada vez mais nos seus ativos de mineração. A segunda fase da expansão da Usiminas Mineração é o que mais tem chamado, mas levanta questões por parte dos analistas. "Como eles vão financiar? Vai haver uma oferta de ações nos próximos meses?", alertam. 

Contato