Radar: Vale construirá ferrovia na África; Cade aprova acordos e fusões

Brookfield anuncia Luciano Guagliardi como novo diretor de RI e lançamentos da Direcional atingem 63,3% no segundo tri
Por Edilaine Felix  
a a a

SÃO PAULO - O radar segue movimentado com as decisões de políticas monetária. O BCE (Banco Central Europeu) reduziu a taxa básica de juro da Zona do Euro em 0,25 ponto percentual, para 0,75% ao ano, já o BoE (Bank of England) manteve a taxa de juro em 0,5% ao ano, enquanto o estoque do programa de compra de ativos foi ampliado em £ 50 bilhões. Ademais, o Banco Central da China  cortou em 0,31 ponto percentual a taxa básica de juro.

No mercado acionário após ganhos recentes, os principais mercados asiáticos desempenharam perdas neste pregão. As ações chinesas sofreram queda acentuada diante da preocupação com o enfraquecimento da economia. Enquanto isso, na Europa, as bolsas inverteram os sinais da manhã e agora operam em alta, com investidores digerindo as reuniões de política monetária. 

Vale construirá ferrovia em Moçambique
A Vale (VALE3, VALE5) recebeu aprovação do conselho de ministros para a construção e exploração de uma ferrovia de 780 quilômetros em Moçambique. A obra será executada por um consórcio em que a mineradora brasileira tem 80% e o governo de Moçambique, por meio da estatal CFM, 20%. O investimento total estimado é de US$ 1,5 bilhão.

Brookfield tem novo diretor de RI
Luciano Guagliardi foi anunciado como o novo diretor de relações com investidores da Brookfield (BISA3). O executivo deve se reportar diretamente a Cristiano Gaspar Machado, que continua exercendo o cargo de diretor-executivo financeiro e de relações com investidores.

Lançamentos da Direcional atingem 63,3% 
Os lançamentos da Direcional (DIRR3) do segundo trimestre deste ano alcançaram patamar recorde de R$ 470,2 milhões, alta de 63,3% em relação ao mesmo período do ano anterior, desconsiderando compra de participação. No total, a companhia lançou 5.060 unidades, com um preço médio de R$ 105,1 mil.

Cade aprova cinco acordos e fusões 
Na véspera, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômia) aprovou cinco acordos e fusões para o mercado brasileiro. Os conselheiros da entidade aprovaram a compra da brasileira Yoki pela norte-americana General Mills, o Pão de Açúcar (PCAR4) pela francesa Casino, a Cimpor pela Camargo Corrêa (CCIM3), a transferência de ações da Cemig (CMIG4) à Taesa (TAEE11) e um acordo entre Vale (VALE3, VALE5) e Petrobras (PETR3, PETR4).

Por sua vez, o Cade também fechou um acordo com a Souza Cruz (CRUZ3) para proibir contratos de exclusividade nos pontos de venda de cigarro. A empresa também terá que pagar R$ 2,9 milhões por contratos firmados anteriormente. 

Deixe seu comentário