Bancos cortaram mais uma vez projeção do PIB: alta pode nem passar de 2,2%

Credit Suisse revisa para baixo expectativa de expansão da atividade econômica do País pela segunda vez em três dias
Por Ana Carolina Cortez  
a a a

SÃO PAULO - Após revisarem suas projeções para o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro na última sexta-feira (1), os bancos voltaram a cortar expectativas de crescimento econômico nacional para este ano. Segundo a nova avaliação, divulgada nesta segunda-feira (4), a expansão do nível de atividades do país pode nem passar de 2,2%.

De acordo com o BTG Pactual, embora o consumo doméstico tenha crescido acima da média para o trimestre, o insatisfatório nível de investimentos registrados no período impede uma projeção mais otimista para o PIB dos próximos meses.

"A formação bruta de capital fixo recuou 1,8% em relação ao quarto trimestre do ano e 2,1% na comparação com os primeiros três meses de 2011. Além disso, a utilização da capacidade instalada da indústria  não sofreu variação significativa", analisa o banco. Dessa forma, a instituição reduziu estimativas de alta para o PIB de 2012, passando de 3,3% para 2,2%.  

Crescimento a 2%?
O cenário, contudo, pode ser ainda pior. Para o Credit Suisse, a economia brasileira tende a crescer apenas 2% este ano. Vale destacar que o banco já havia revisado para baixo as projeções para o PIB brasileiro na última sexta-feira - quando calculava expansão de 2,5% para a economia do país.

"Essa recuperação menos expressiva é compatível com um cenário  de aumento lento na confiança dos empresários industriais, melhoria paulatina das condições de crédito e um cenário global ainda marcado por elevada incerteza", afirma o banco em relatório. "Nesse sentido, entendemos que um crescimento do PIB em 2012 de 2,5% exigiria uma retomada similar a do segundo semestre de 2009. Essa não nos parece a trajetória mais provável", complementa.

Ponto de vista
Embora acredite na alta de apenas 2% para o PIB de 2012, o Credit Suisse projetou outros dois cenários, totalizando três possíveis desfechos para a economia brasileira este ano. Confira as simulações do banco:

CenáriosProjeção de alta
do PIB em 2012
Condições
Cenário 1 2,5% Para que esse cenário seja possível, a alta do PIB teria de chegar a 1,8% e 2%,
respectivamente, no terceiro e no quarto trimestre do ano, frente ao acumulado
dos três meses anteriores
Cenário 2 2,0% Essa projeção requer um crescimento médio de 1,2% no terceiro e no quarto
trimestre do ano, em comparação ao acumulado dos três meses anteriores
Cenário 3 1,5% Para que isso aconteça, o crescimento econômico no terceiro e no quarto
trimestre ficaria em 1% sobre o acumulado dos três meses anteriores

Deixe seu comentário